uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Bombeiros de Benavente em vazio directivo e com eleições marcadas

Quatro elementos da direcção saíram em colisão com o actual presidente. Acto eleitoral para eleger novos corpos sociais está marcado para 27 de Junho.

Edição de 07.06.2017 | Sociedade

A associação dos bombeiros de Benavente está num vazio directivo e estão marcadas eleições dos novos corpos gerentes para o dia 27 de Junho. A apresentação de listas decorre até dia 14. O acto eleitoral surge na sequência da demissão e renúncia ao mandato de quatro dos sete elementos da direcção – incluindo do vice-presidente - apenas mês e meio depois de terem tomado posse. O grupo saiu em choque com o presidente da direcção, Daniel Manuel.
O grupo demissionário, composto por Sandra Melo, Henrique Bento, Maria José Ganhão e Bruno Nepomuceno, afiança que nada os move contra a instituição mas sim contra a forma como a direcção funcionava e já estão a formar uma lista concorrente às próximas eleições da colectividade. “Os bombeiros merecem todo o nosso respeito. Ainda fomos aguentando e tentando ficar nesta direcção mas a dado momento não deu mais”, explica Sandra Melo a
O MIRANTE. O grupo tinha entrado para a direcção em Junho de 2016, também numas eleições intercalares, repetindo a eleição em Março. Explicam que a decisão foi tomada por sentirem-se “excluídos dos processos de decisão” e, em alguns casos, “usados”.
“É complicado trabalhar numa direcção onde muitas vezes os assuntos já vinham decididos e outras matérias importantes tinham de ser decididas na hora apesar do presidente já as ter em mãos há bastante tempo”, explicam. A gota de água nas relações foi a recente ameaça de não disponibilização de meios para a operação Fátima escrita pelo presidente da direcção ao grupo parlamentar do PSD, caso alegadas verbas em atraso por parte do Estado não fossem recebidas pela associação. “Isso criou uma situação de desconforto”, admite o grupo.
Contactado por O MIRANTE o presidente da direcção, Daniel Manuel, discorda e garante que “nunca existiram, em algum momento”, questões em que os membros em causa tivessem sido excluídos do processo decisório. O dirigente explica que em dado momento foram inclusive constituídas duas equipas para acompanhar dois projectos da corporação, como a melhoria do quartel. Daniel Manuel explica que “provavelmente” não irá apresentar qualquer lista para concorrer ao próximo acto eleitoral.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...