uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Os melhores pastores australianos de Portugal são criados no Ribatejo
paixão. Rita e os cachorros Bugatti e Concha

Os melhores pastores australianos de Portugal são criados no Ribatejo

Rita Chaves nasceu em Vila Franca de Xira mas mudou-se para Santarém para ter uma casa com mais espaço para os sete cães que tem neste momento.

Edição de 07.06.2017 | Sociedade

Rita Chaves tem 29 anos e há três que é distinguida pelo Clube Português de Canicultura como a criadora dos melhores exemplares de pastores australianos em Portugal. Nasceu em Vila Franca de Xira mas mora em Santarém, numa quinta onde está localizado o Canil D’Azumoon, que gere sozinha. Tem neste momento sete cães e levou dois deles à 22ª Exposição Internacional Canina, que decorreu no fim-de-semana de 3 e 4 de Junho no Pavilhão Multiusos de Vila Franca de Xira.
A O MIRANTE contou que a paixão por esta raça de cães chegou de forma inesperada: “Não vem de família, os meus pais não criavam, mas comecei a interessar-me por esta raça, a pesquisar sobre ela e sobre as características dos cães, a estudar as linhagens e os criadores e a ir a exposições para aprender o máximo possível”.
Depois de perceber que os pastores australianos eram os cães ideais para si, começou a criá-los. O primeiro cão que comprou chama-se Sancho e foi buscá-lo à Croácia em 2013. “Na altura dei 3 mil euros por ele, mas atenção, já tinha dois anos e já era campeão internacional, já vinha com todos os exames feitos, não foi como ir buscar um cachorrinho sem background”. A Sancho seguiu-se a fêmea Kira, também comprada em 2013 mas em França, e já por um preço inferior de 1500 porque ainda era cachorra e não tinha aos ombros a importância dos títulos daquele que viria a ser o seu parceiro na ninhada que Rita criou com os dois.
Depois deles foi buscar as fêmeas Rumba aos EUA e Bhiagy a Espanha e o macho Bradley à Rússia. Tem cães criados por ela que já foram campeões na Dinamarca, Suécia, Estónia, França, Espanha, Noruega e Alemanha. Também faz diversas exposições em Espanha e Gibraltar e há três anos que o Clube Português de Canicultura a distingue como a melhor criadora desta raça.
À Exposição Internacional Canina realizada em Vila Franca de Xira levou o macho Bugatti e a fêmea Concha, ambos com 12 meses. “São irmãos e ainda são cachorrinhos, apesar de já terem este tamanho todo. Ainda só querem brincar e estão sempre a meter-se um com o outro”. Na exposição conseguiram respectivamente os prémios de Melhor Macho e o de Melhor Raça na categoria de Beleza, que é sempre aquela em que os cães de Rita concorrem.
A criadora reconhece que é precisa muita disponibilidade financeira e de tempo para investir nesta área. Embora trabalhe na área do intrastat (estatísticas), o tempo que precisa de dispensar para exposições nacionais e internacionais e para estar com os cães e dar-lhes a atenção necessária é muito elevado. E maior ainda é o dinheiro investido: “Os cães têm de ter uma alimentação muito cuidada, de rações super premium e que lhes dêem tudo o que precisam. Os cuidados com o pêlo, com o físico deles e com as consultas e a saúde também têm de ser permanentes. E fica caro andar em exposições, ir ao estrangeiro e voltar, mas no final compensa”. Isto porque é precisamente em exposições que encontra muitas vezes os compradores para os cachorros das ninhadas que vai criando, e que depois gosta de continuar a acompanhar.
E na hora de os vender, Rita tenta sempre idealizar o dono perfeito, “encontrar aquele que seja exactamente o que eu pretendo para um determinado cão”, e o valor da venda depende sempre da idade com que o cachorro é entregue ao novo dono, da linhagem de que descende e de serem vacinados, desparasitados e chipados antes de serem entregues.

Os melhores pastores australianos de Portugal são criados no Ribatejo

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...