uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Calor ‘derrete’ marchas populares de idosos em Alverca

Calor ‘derrete’ marchas populares de idosos em Alverca

As altas temperaturas que se fizeram ao início da tarde do Dia de Santo António levaram os seniores de várias instituições a desistir de participar na actividade organizada pelo Museu de Alverca. Para o ano já não se realiza a iniciativa.

Edição de 21.06.2017 | Sociedade

Nem mesmo Santo António faz frente ao Verão ribatejano. Na tarde de 13 de Junho, técnicas do Núcleo Museológico – Museu Municipal de Alverca quiseram organizar uma pequena festa para os idosos da freguesia e arredores em honra dos santos populares. A ideia era que os seniores alverquenses e de várias instituições do concelho se reunissem na Rua João Mantas, junto ao Largo do Pelourinho do Museu de Alverca, e marchassem trajados com fatos alusivos aos santos populares e depois dançassem um pouco ao som da música que foi posta a tocar. Mas o calor que se fez sentir trocou-lhes as voltas e obrigou à debandada para local mais fresco.
O ano passado a actividade correu bem e prolongou-se até às 17h00 com bastante dança e animação. O problema este ano foi que a actividade foi marcada para as 14h00, quando os termómetros registavam 38 graus em Alverca, e os convidados rapidamente começaram a sentir os efeitos do calor e a querer voltar para casa.
Foram convidados seniores institucionalizados na Associação de Assistência e Beneficência da Misericórdia de Alverca, no centro de dia do Centro de Apoio Social do Bom Sucesso e Arcena, do lar da Fundação CEBI, da Casa São Pedro de Alverca, da ERPI-Senhora da Graça e da Associação para a Integração de Pessoas com Necessidades Especiais de Alverca (AIPNE). No total, estiveram presentes cerca de 30 pessoas mas apenas no princípio pois muitos foram-se sentar em lugares à sombra, já sem vontade de marchar nem dançar.
“Não conseguimos agendar para outra hora devido aos horários normais das instituições, algumas não podiam vir de manhã, outras não podiam vir mais tarde, por isso teve de ser àquela hora”, explicou a técnica Ana Maria Cera Cunha, do Museu de Alverca, que adiantou também que para o ano “infelizmente vamos ter de abdicar da actividade, porque já percebemos que o calor vai continuar e não vamos poder manter as marchas. Vamos continuar com as outras actividades no resto do ano, mas com esta não”.

Calor ‘derrete’ marchas populares de idosos em Alverca

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...