uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Vila Franca de Xira é uma cidade da qual os moradores se podem orgulhar
MÉRITO. Cidadãos e colectividades foram distinguidas na cerimónia dos 33 anos de elevação de Vila Franca de Xira a cidade

Vila Franca de Xira é uma cidade da qual os moradores se podem orgulhar

Cidade está mais inclusiva e desenvolvida e capaz de preservar a sua identidade. Três associações e duas figuras da terra receberam galardões de mérito que já são entregues há 25 anos. Mais de uma centena de pessoas já foi distinguida nas comemorações da elevação a cidade.

Edição de 06.07.2017 | Sociedade

A freguesia de Vila Franca de Xira está mais desenvolvida, inclusiva e capaz de defender e preservar a sua identidade e a sua matriz cultural. Estes foram os tópicos fortes dos discursos do espectáculo que assinalou o 33º aniversário da elevação de Vila Franca de Xira a cidade, realizado no largo da câmara na noite de 28 de Junho.
Na cerimónia, como já vem sendo hábito há 25 anos, foram distinguidas figuras e associações da terra. No último quarto de século mais de uma centena de pessoas e instituições da cidade foram laureadas com os prémios de mérito.
Este ano os galardões foram entregues ao Clube de Campismo As Sentinelas, Centro de Apoio à Juventude e à Infância de Vila Franca de Xira (Cajixira), Grupo Folclórico Ribatejano e ao Rancho Folclórico da Alfarrobeira. O sociólogo Luís Capucha e o artista gráfico Rodrigo Sepúlveda (Vile) foram as duas personalidades escolhidas para receber o galardão.
A maioria dos premiados optou por não discursar e, quando o fez, foi simplesmente para agradecer a distinção. “É importante reconhecer o mérito destas pessoas e Vila Franca de Xira é uma cidade de que hoje nos podemos orgulhar. Temos feito um longo caminho de defesa e preservação da nossa identidade. A tauromaquia é uma marca que nos distingue do resto do país. Temos hoje uma boa frente ribeirinha, melhores espaços públicos, um Museu do Neo-Realismo que é uma referência, a moderna Fábrica das Palavras e muito orgulho no projecto Evoa de observação de aves na Lezíria”, notou Alberto Mesquita (PS), presidente do município.
A cerimónia contou com a presença de perto de uma centena de espectadores, a maioria familiares e amigos dos laureados. “Ao longo deste mandato fizemos uma grande intervenção de pedagogia cívica. Acredito que fizemos uma melhor cidade da qual nos podemos orgulhar”, elogiou António Matos Oliveira (Coligação Novo Rumo), presidente da Assembleia de Freguesia de Vila Franca de Xira.
Na sua intervenção António Matos lembrou que as questões da tauromaquia “não devem ser descarregadas para as autarquias como se fossem um problema burocrático”, aludindo ao recente diploma do governo referente à descentralização de competências e que prevê que sejam as câmaras a decidir se querem ou não realizar eventos taurinos nos seus territórios.
Também o presidente da junta, Mário Calado (CDU), vincou a necessidade da freguesia continuar a defender a sua identidade e lembrou que a cidade hoje em dia está tão preocupada com as zonas urbanas como com as rurais.
A noite contou com as actuações do grupo vilafranquense Guitar Drums, fado com João Grilo, Margarida Arcanjo, Inês Peres e Pedro Ferreira, a actuação da escola de flamenco Sofia Abraços do Ateneu Artístico Vilafranquense, demonstração de toureio da escola José Falcão e um momento de poesia de Piedade Salvador.

Vila Franca de Xira é uma cidade da qual os moradores se podem orgulhar

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...