uma parceria com o Jornal Expresso
24/07/2017
Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
VISITA. A presidente da Nersant, Salomé Rafael, com o director fabril da Caima, Gualter Vasco
Caima tem no mercado chinês o seu grande cliente
Fábrica de pasta de papel de Constância exporta 90 por cento da sua produção para esse país asiático.
Edição de 12.07.2017 | Economia

Uma comitiva de empresários da região visitou a fábrica de pasta de papel da Caima - Indústria de Celulose, S.A. e ficou a saber que a empresa é um dos maiores empregadores do concelho de Constância e que exporta mais 90% da sua produção para a China.
As explicações foram dadas por Gualter Vasco, director fabril da empresa pertencente ao grupo Altri, do qual fazem ainda parte a Celbi e a Celtejo, na reunião que precedeu à visita às instalações. O responsável da empresa começou por apresentar a Caima, empresa centenária, fundada em 1888. A fábrica de Constância iniciou a sua construção em 1960 e produz pasta desde Fevereiro de 1962.
A empresa, explicou ainda Gualter Vasco, tem estado permanentemente na vanguarda tecnológica do sector, fazendo investimentos constantes. Só na última década, revelou, “foram efectuados cerca de 80 milhões de euros de investimento específico, uma grande parte dos quais no domínio ambiental”.
A empresa está abrangida pela Directiva IPPC e pela Directiva das Emissões Industriais e tem autossuficiência energética; na fábrica de Constância existem duas caldeiras de biomassa que permitem a valorização energética de mais de 150 mil toneladas por ano de biomassa florestal, contribuindo de forma relevante para a limpeza das matas e para a redução do risco de incêndio florestal na região. No total aquela fábrica injecta cerca de 95 GWh por ano de energia eléctrica de origem renovável na rede nacional.
Desde 2012, a empresa produz apenas pasta solúvel - cerca de 115 mil toneladas por ano - sendo que o projecto de reconversão da produção para este novo produto exigiu um investimento de cerca de 40 milhões de euros. A produção de pasta solúvel, foi ainda explicado na reunião, é destinada maioritariamente para exportação (mais de 90%), nomeadamente para a China, num total de 4.500 contentores movimentados por ano, quase exclusivamente a partir de Riachos. Actualmente os principais clientes da Caima são, de facto, produtores de rayon viscose, destinado à indústria têxtil, localizados neste país asiático.
A responsabilidade social da Caima foi também ponto de foco na reunião. A empresa, que facturou 105 milhões de euros em 2016, é um dos maiores empregadores da região - a Caima emprega 185 trabalhadores directos e a sua actividade gera cerca de 1000 indirectos - privilegiando sempre a contratação ao nível regional. “Mais de 40% dos colaboradores são naturais ou residentes no concelho de Constância e mais de 40% nos concelhos limítrofes”, disse Gualter Vasco.
Ao nível da inovação, a Caima tem ainda diversas parcerias com Universidades e Politécnicos, patrocinando cerca de quinze estágios académicos todos os anos. Para além disso, dá apoio às escolas secundárias e profissionais da região, acolhendo regularmente alunos para estágios curriculares.
Concluída a apresentação da empresa, a comitiva empresarial, onde estiveram presentes a presidente da direcção da Nersant, Maria Salomé Rafael, o vice-presidente da direção, Domingos Chambel e a presidente da Câmara de Constância, Júlia Amorim, bem como outros empresários da região, equiparam-se a rigor para visitar as instalações da fábrica.

Comentários
Mais Notícias
    A carregar...
    Capas
    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido