uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Um pequeno aficionado suíço que já vive a tourada com entusiasmo

Um pequeno aficionado suíço que já vive a tourada com entusiasmo

“Somos de um país onde homens agarram toiros com as mãos e os cavalos dançam”

Edição de 10.08.2017 | Sociedade

Sebastien tem dez anos, nasceu na Suíça e não fala português mas entusiasma-se quando vai com a família à tourada, na altura das férias de Verão em Portugal. O avô, Luís Fiéis, emigrante na Suíça há 49 anos, a avó Michelle e a mãe Graça são aficionados e quando vão às touradas, na altura das férias em Portugal, sentem-se verdadeiramente em casa. Para eles, falar em acabar com as touradas é algo incompreensível.
Noutra zona da praça de touros de Tomar, Jéssica Pini, Cecilia Pini e Felismina Francisco, membros de uma família que emigrou para o Luxemburgo há 28 anos, assistem emocionados a uma pega dos Forcados Amadores de Tomar. Para eles, poder contar aos amigos e colegas de trabalho luxemburgueses que em Portugal há homens que agarram toiros com várias centenas de quilos só com as mãos é algo que os enche de orgulho. “Todos os anos vimos a Portugal para passar férias e assistir à corrida de toiros de homenagem ao emigrante. Somos de Tomar e agradecemos ao cavaleiro Rui Salvador esta iniciativa, que esperamos que continue ao mais alto nível. A tradição das touradas é muito forte e deve continuar porque faz parte do que somos”, defendem a uma só voz.
Cristian Rodrigues, de 47 anos, Maria Sousa, de 61, e José Rodrigues, de 56 anos, não são de Tomar mas do Entroncamento. Estão emigrados em França e esperam voltar a Portugal quando se reformarem. Gostam muito do país onde vivem e onde ganham a vida mas as saudades de Portugal, do sol, da comida e da família que permaneceu por cá são difíceis de suportar.
Vêm de férias todos os anos para matar saudades, recarregar baterias e para manterem a sua ligação às raízes através do que consideram ser genuinamente português. Costumam aproveitar para assistir a algumas corridas de toiros e uma delas é a Corrida do Emigrante. Dizem que gostam de todas as partes da tourada mas o que mais os encanta são os cavalos e a forma como os cavaleiros os treinam para fazerem certos passes que dão a ilusão de que estão a dançar.

Um pequeno aficionado suíço que já vive a tourada com entusiasmo

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...