uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Em Alcanena há trabalho e foram criadas boas condições para se viver e investir

Em Alcanena há trabalho e foram criadas boas condições para se viver e investir

Atenção focada em equipamentos escolares, culturais, desportivos e sociais. Com uma taxa de empregabilidade acima da média, o concelho de Alcanena combina essa vantagem com uma boa oferta de equipamentos a nível escolar, cultural, desportivo e social.

Edição de 13.09.2017 | Suplemento Viver no Ribatejo

A iniciativa privada beneficia de boas condições para a instalação de empresas, situação geográfica favorável e um mercado de mão-de-obra com grande versatilidade como o provam os casos de sucesso em diferentes áreas de actividade.
O tecido empresarial de Alcanena assenta nas indústrias seculares dos curtumes e dos têxteis, que se souberam renovar e modernizar, continuando a criar riqueza e a gerar emprego mas a estas juntaram-se especializações produtivas mais recentes nas áreas dos materiais de construção, das máquinas industriais e da exploração florestal relacionada com o pinheiro bravo e o eucalipto.
O total de empresas e sociedades é superior a 2.000 e representa cerca de 6,5% do Médio Tejo, com incidência nas actividades do comércio por grosso e a retalho e das indústrias transformadoras. O mercado de trabalho encontra-se, igualmente, orientado para os sectores terciário (57,92%) e secundário (40,72%), caracterizando-se o sector primário por uma agricultura de subsistência, com registo de cerca de 730 explorações agrícolas e menos de 1,5% da população empregada a nível municipal.
A câmara municipal tem respondido à preferência dos empresários pela instalação dos seus negócios, criando não só condições para que isso aconteça mas investindo em tudo o que é essencial para que mais famílias se fixem no concelho.
O investimento no ensino, no desporto e em actividades culturais, tem resultado. A disponibilidade municipal para que quem está não sinta vontade de partir e para quem não está se fixe é notória. Os incentivos e apoios são muitos e mesmo em áreas como a promoção da natalidade que exige medidas estratégicas a nível nacional que não existem. Não deixa de haver um sinal de esperança. Em Dezembro de 2015 a câmara municipal decidiu atribuir o “Cabaz Bebé Feliz”a todos os recém-nascidos/as cujos agregados familiares residam no concelho.
Quem visita o concelho de Alcanena tem oportunidade de ficar a conhecer a vasta biodiversidade existente na zona do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros que integra o concelho; pode deslumbrar-se com a paisagem nos miradouros naturais do Cabeço de Santa Marta e da Serra de Santo António; surpreender-se pela raridade do Polje/Lagoa de Minde ou aventurar-se no Complexo das Nascentes do rio Alviela e, se for tempo para isso, mergulhar na praia fluvial dos Olhos de Água.
E é junto à nascente do rio Alviela que se encontra o Centro Ciência Viva do Alviela - Carsoscópio. Trata-se de um espaço de ciência e tecnologia integrado na Rede Nacional de Centros Ciência Viva onde é possível viajar pelo Maciço Calcário Estremenho ao longo de 175 milhões de anos, desvendar os percursos subterrâneos da água a três dimensões ou “colocar-se na pele” de um morcego.
Outros pontos de interesse são o Museu de Aguarela Roque Gameiro, a Arcada do Vale, aqueduto centenário que outrora saciou a sede da capital, o Museu da Boneca, o Museu Etnográfico de Moitas Venda e o Museu Rural e Etnográfico de Espinheiro.
A cachola e a morcela são enchidos típicos de Alcanena que é possível encontrar em alguns dos inúmeros restaurantes existentes no concelho, alguns dos quais com fama a nível nacional.

Observar morcegos no Carsoscópio e experimentar “piar” em minderico

O município de Alcanena está situado na sub-região do Médio Tejo (NUTS III), pertencente à região Centro (NUTS II). A área geográfica do concelho abrange 127,3 km2 e serve de ponto de encontro entre o maciço calcário estremenho e a bacia terciária do Tejo, estendendo-se por sete freguesias (União das Freguesias de Alcanena e Vila Moreira, Bugalhos, União das Freguesias de Malhou, Louriceira e Espinheiro, Minde, Moitas Vendas, Monsanto e Serra de Santo António), com um total de 13.868 habitantes.
É um concelho com paisagens agrestes e deslumbrantes e com uma actividade cultural que inclui um Festival Anual de Jazz, que decorre em Minde, e o Festival Materiais Diversos que decorre em Setembro. Tem também diversos museus nomeadamente o Museu de Aguarela Roque Gameiro e dois museus etnográficos, para além do peculiar Museu da Boneca. O Complexo das Nascentes do rio Alviela e a praia fluvial dos Olhos de Água e o Centro Ciência Viva do Alviela - Carsoscópio são lugares que atraem muitos visitantes. É no concelho de Alcanena, em Minde, que ainda se fala o minderico.

Em Alcanena há trabalho e foram criadas boas condições para se viver e investir

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido

    Destaques