Autárquicas 2017 | 04-10-2017 10:40

À margem

O Afonso que também é Costa

Afonso Costa do PS perdeu a Junta de Freguesia de Alverca para a CDU. O PS, que teve uma vitória histórica no conjunto de todas as câmaras e juntas de freguesia do país, perdeu Alverca para a CDU que teve também a nível nacional a sua maior derrota depois do 25 de Abril.
Afonso Costa andou nos últimos anos a preparar esta derrota com o seu sorrisinho cínico, o seu jeitinho para a asneira e a sua incapacidade para governar. A CDU soube colher em Alverca e é um exemplo do trabalho que o PCP não soube fazer no executivo de Vila Franca de Xira onde os narizes empinadas falam mais alto.

A Anita já não é bonita

Ana Cristina Ribeiro, a autarca de serviço ao Bloco de Esquerda para criar a ilusão de que o BE é um partido nacional, ficou por um resultado miserável para quem já dirigiu os destinos de Salvaterra de Magos.
Depois das fracas figuras que fez no final do seu mandato como presidente da câmara, e agora mais recentemente como membro da assembleia municipal, Anita teve o que merecia ou cerca de vinte por cento dos votos ainda é caso para comemorar? É confrangedor ver tanta falta de saúde na política.

Os atrasos de vida em Tomar

Anabela Freitas livrou-se há cerca de dois anos do seu chefe de gabinete e auto-intitulado guru político e voltou a ganhar as eleições em Tomar desta vez com maioria absoluta.
Luís Ferreira era um atraso de vida que toda a gente respeitava por estar colado a Anabela Freitas, uma pessoa sensata, admirada e de trato fácil e afável. A presidente de câmara assumiu nos últimos tempos um protagonismo político que acabou de ter os seus efeitos nos resultados eleitorais.
A cidade de Tomar, a mais bonita do Ribatejo, merece uma governação politica à altura dos seus pergaminhos.

Paulo Fonseca também ganhou em Ourém

Paulo Fonseca vitimizou-se até ao limite para não ver José Alho como candidato à Câmara de Ourém. Sabendo que o PS perdia com Cília Seixo, e que daqui a quatro anos ela não será a candidata ideal para o PS, Fonseca reaparece como o melhor candidato e pronto para a vingança; Se o candidato do PS fosse José Alho, Paulo Fonseca já não tinha espaço para voltar daqui a quatro anos. Quem é que disse que Paulo Fonseca também está insolvente da cabeça.

José Gandarez perdia as eleições em Santarém

José Gandarez, o presidente da concelhia do PSD de Santarém, fez tudo o que estava ao seu alcance para que Ricardo Gonçalves não ganhasse as eleições em Santarém. Foi cabeça de lista à assembleia municipal e, tal como se esperava, ficou longe da maioria absoluta que elegeu Ricardo Gonçalves. Teve menos 1.200 votos o que faz toda a diferença. Gandarez pode, no entanto, vir a ser o presidente da Assembleia Municipal; os partidos da oposição ganham muito mais com isso do que elegendo os seus próprios membros. É caricato mas é verdade.

No Cartaxo o vinho não azedou

O candidato do PSD no Cartaxo, Jorge Gaspar, andou numa grande azáfama durante a campanha eleitoral. Chegou a criar a ilusão de que era desta que o PSD destronava o PS na capital do vinho. Pura ilusão. O candidato não conseguiu fazer chegar a sua mensagem ao eleitorado; há quem defenda que ele afinal não tinha mensagem tendo em conta o que podia fazer e não fez para não se comprometer demasiado. Toda a gente espera novos vereadores que ajudem a valorizar o discurso político.riam estar a ver a bola não eram menos.

Na Chamusca deixou de haver CDU

Os dirigentes do PCP na Chamusca são masoquistas; só assim se percebe que a CDU tenha desaparecido completamente do concelho perdendo a câmara há quatro anos e agora perdendo mais um vereador e as duas únicas juntas de freguesia que ainda restavam.
Na luta pela câmara municipal pagaram caro o afastamento dos vereadores Francisco Matias e Manuela Marques. A escolha da jovem candidata Gisela Matias foi literalmente um gesto de quem tem o ouro para entregar ao bandido. Assim se vê a força do PCP. Os camaradas que governam a concelhia do PCP na Chamusca deviam pedir desculpas e a seguir demitirem-se; mas isso era se eles não vivessem ainda, em espírito, no tempo do gonçalvismo.

Isaura Morais VIP

Isaura Morais voltou a ganhar Rio Maior sem oposição; os socialistas de Rio Maior continuam num longo período de hibernação e, pelo que sabe, apostaram todas as fichas no Largo do Rato, em Lisboa, para não morrerem a trabalhar como escravos nas salinas da terra.
José Pacheco Pereira, comentador na SIC, não perdeu a oportunidade de voltar a zurzir no PSD ao longo da noite eleitoral mas deixou um aparte que não passou despercebido: em Rio Maior o PSD é diferente e Isaura Morais é a protagonista; Isaura foi a única autarca da região ribatejana a ter honras televisivas.

Somos todos Ricardo

Os jornalistas de O MIRANTE testemunharam em duas câmaras da região, governadas pelo Partido Socialista, solidariedades com a vitória absoluta de Ricardo Gonçalves do PSD em Santarém.
No meio das conversas e dos “à margem”, que sempre surgem nestas alturas, a frase “somos todos Ricardo” foi ouvida como se fizesse parte de um afecto quotidiano para com o autarca de Santarém numa prova de simpatia que Ricardo Gonçalves tem entre os seus pares socialistas. Certamente que muito contribui para isso a postura arrogante e trauliteira de Rui Barreiro que nem no seu próprio partido consegue gerar simpatias.

Pedro Ferreira vai ligar ao Costa

Pedro Ferreira confirmou em Torres Novas que António Rodrigues já passou à história do poder local torrejano: Rodrigues ainda ameaçou com uma candidatura independente mas, como é seu timbre, foi só para inglês ver; Garganta não lhe falta e capacidade para inventar e criar situações embaraçosas ainda menos. Certamente que um dia vai ser convidado para actuar no cinema.
Na noite das eleições houve quem sugerisse, à margem das conversas, que Pedro Ferreira devia ligar a António Costa para levar António Rodrigues para Lisboa onde ele podia fazer muito trabalho pelos clubes desportivos da terra angariando patrocinadores que é um trabalho que ele faz muito bem.

Constância do avesso

Quem acompanhou de perto a campanha eleitoral em Constância sabia que a CDU podia perder as eleições. A onda não foi Partido Socialista mas sim uma grande aderência à volta de um conjunto de nomes que prometiam trabalho e mudanças independentemente da cor partidária. Certamente que se o PS voltasse a escolher nomes do aparelho, como antigamente, a CDU voltava a ganhar. Os resultados eleitorais em Constância provam que ninguém pode dormir na forma.

Todos estiveram do outro lado

Todos os presidentes de câmara e vereadores que ao longo da noite foram solicitados por telemóvel pelos jornalistas de
O MIRANTE estavam do outro lado ao primeiro toque; Todos falaram com
O MIRANTE apesar das emoções à flor da pele e, num ou noutro caso, ainda sofrendo da angústia dos resultados.

O efeito Câncio

O Partido Socialista voltou a ganhar a Junta de VFX depois de quatro anos nas mãos da CDU. Os eleitores, depois do efeito Ana Câncio, voltaram a confiar a junta ao Partido Socialista.
Esta é a prova de que há quatro anos não foi a CDU de Mário Calado que ganhou a junta mas o PS de Ana Câncio que perdeu. Com um candidato que fez esquecer Câncio o PS volta a governar uma das autarquias mais importantes da sede do concelho. Mário Calado vai para vereador como prémio por não ter feito nada de jeito durante o seu mandato como presidente da junta

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo