Autárquicas 2017 | 04-10-2017 10:40

Alberto Mesquita vence em Vila Franca de Xira com “empenho e paixão”

Alberto Mesquita vence em Vila Franca de Xira com “empenho e paixão”

Noite eleitoral em Vila Franca de Xira foi repleta de emoções fortes e reviravoltas. No jogo do baralha e volta a dar eleitoral, Afonso Costa foi derrotado em Alverca e a CDU perdeu a junta da sede de concelho. O PS resistiu à ofensiva comunista para a câmara e o Bloco de Esquerda surpreendeu ao garantir um vereador na câmara pela primeira vez na sua história.

O socialista Alberto Mesquita venceu as eleições para a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira com 39,06 por cento dos votos e avança para mais quatro anos a liderar o município ribatejano com os mesmos cinco vereadores que já detinha no anterior mandato.
A segunda força política mais votada naquele concelho foi a CDU, liderada por Regina Janeiro, que alcançou os 30,45 por cento de votos e mantém os mesmos quatro vereadores que tinha até aqui. À semelhança do resto do país, um dos derrotados da noite foi a Coligação Mais, liderada pelo PSD, que perdeu um dos dois vereadores que tinha, fruto de uma votação de 13,63 por cento. Uma das surpresas da noite foi o Bloco de Esquerda que, pela primeira vez na sua história, consegue colocar um vereador no município, fruto dos 6,99 por cento de eleitores que votaram naquela força política.
“Tivemos uma grande vitória hoje. Os nossos adversários, como se diz nos casinos, apostaram as fichas todas mas perderam. O eleitorado olhou para nós como um projecto confiável, por aquilo que temos feito de há muitos anos a esta parte. E entre o certo e o incerto deram-nos novamente a confiança para governar este concelho. Vamos dedicar-nos com todo o empenho e paixão em prol deste projecto”, frisou Alberto Mesquita.
O autarca socialista volta a não conseguir maioria absoluta para governar com tranquilidade mas diz-se preparado para abraçar entendimentos. “Estou disponível para trabalhar com quem, de boa fé, queira trabalhar connosco e de acordo com o projecto que apresentamos. Há pontes, parcerias e condições para trabalhar com quem quiser trabalhar connosco para que os orçamentos, contas de gerência e outros documentos essenciais possam ser aprovados”, explicou o autarca no rescaldo da noite eleitoral.
Regina Janeiro, cabeça-de-lista da CDU, reconheceu a derrota mas preferiu salientar a redução da abstenção - passou de 55,77 por cento em 2013 para os 51,63% - e o facto da “onda a favor do PS” a nível nacional ter condicionado a votação. “A democracia ganhou no nosso concelho. O presidente da câmara é que vai agora decidir como quererá fazer entendimentos. Quem tem tido dificuldade em trabalhar com a oposição é ele”, afirmou a autarca, que prometeu a O MIRANTE cumprir o mandato para que foi eleita até ao fim.

Alverca merece ser “melhor tratada”
Carlos Gonçalves (CDU) já tinha ameaçado em 2013, quando se candidatou à União de Freguesias de Alverca e Sobralinho, derrubar Afonso Costa (PS) da presidência daquela junta de freguesia. Este ano conseguiu-o, naquela que foi a principal surpresa da noite, obtendo 36,49 por cento dos votos. Carlos Gonçalves, o novo presidente daquela união de freguesias, diz que a prioridade vai ser a manutenção dos espaços verdes, a limpeza e a mobilidade. Considera que a principal causa para a derrota socialista foi “o desinvestimento e o abandono” a que foi votada a união de freguesias por parte da gestão municipal e avisa que será um presidente reivindicativo.
“A câmara desinvestiu completamente nesta união de freguesias. A nossa postura será de parceria e entendimento, partindo do princípio que a câmara olhará para Alverca de forma diferente. Alverca merece ser tratada na perspectiva da resolução dos problemas proeminentes, começando pela higiene urbana e mobilidade. A câmara tem de entender que numa freguesia desta dimensão, com estas problemáticas, terá de encontrar com a junta soluções para os seus problemas”, explica a O MIRANTE.

CDU perde Junta de Vila Franca de Xira
Ainda nas reviravoltas da noite a derrota da CDU na corrida à Junta de Vila Franca de Xira. João Santos (PS) venceu com 36,90 por cento dos votos. O delfim de Mário Calado, João Conceição (CDU), não foi além dos 34,58%. Nos outros resultados da noite nota para o facto de nenhum executivo de junta ter conseguido maioria absoluta. José António Gomes (CDU) continua a ser o presidente eleito de Vialonga, Mário Cantiga (CDU) ganhou Alhandra, São João dos Montes e Calhandriz e Luís Almeida (CDU) mantém-se como presidente na Castanheira do Ribatejo. Por último, na União da Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa, Jorge Ribeiro (PS) venceu a confiança dos eleitores. O movimento independente Póvoa + Forte, liderado por António José Inácio, foi a segunda força mais votada.

À margem

Lixaste-nos, Afonso!

Pouco tempo depois de se saber da sua derrota, Afonso Costa (PS) felicitou o adversário da CDU pela vitória e mandou o recado de que a sua candidatura “nunca entrou em ataques pessoais” e que o eleitorado escolheu e foi soberano. A derrota de Alverca para os socialistas foi um balde de água gelada no que, caso contrário, seria uma noite tropical. E um apoiante socialista que foi fazer a festa ao largo da câmara não deixou de desabafar: “O Afonso lixou-nos!”.

Imperiais e bifanas para esquecer

A CDU esperava nestas eleições obter a vitória para a câmara mas também na sede do partido o cenário era agridoce: se por um lado venceu a Junta de Alverca, por outro perdera a junta da sede do concelho, Vila Franca de Xira. Felizmente para a CDU a sede é dotada de um bar onde não faltou pão, vinho, cerveja e bifanas. É que logo que os resultados começaram a surgir muita gente deixou de roer as unhas e começou a trincar nos petiscos.

Os resistentes do Bloco

O Bloco de Esquerda teve de esperar praticamente até às 02h00 para saber se elegia, ou não, um vereador para a câmara. Quando já todos os partidos fechavam as portas das suas sedes de campanha para ir dormir, a malta do Bloco ainda aguentava firme em frente aos computadores à espera dos resultados de cinco mesas de voto da Póvoa. E, pelo que se viu, a vigília valeu a pena.

Benfica, Sporting e... urnas

Em Vila Franca de Xira quem acompanhou a chegada dos resultados em tempo real aos paços do concelho teve de dividir a sua atenção não apenas aos números das mesas de voto mas também a outros números. No caso, o do marcador dos jogos Sporting-Porto e Benfica-Marítimo. A dada altura havia mais gente a ver os relatos da bola do que a acompanhar os resultados. O que até nem foi mal pensado, porque o apuramento das 117 mesas de voto foi longo.

Vamos jantar e já voltamos

Até meio da noite não se ouviu falar das mesas de voto da União de Freguesias de Alhandra, São João dos Montes e Calhandriz. Tudo porque os responsáveis das mesas fizeram uma pausa cirúrgica para jantar e por causa disso a Polícia de Segurança Pública não pôde recolher os boletins de voto. O que obrigou todo o processo a começar de novo e atrasar tudo o resto.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo