Autárquicas 2017 | 04-10-2017 10:40

PS já não precisa de muletas para governar a Câmara de Tomar

PS já não precisa de muletas para governar a Câmara de Tomar

Depois de um mandato em que teve que fazer um acordo com a CDU para governar a Câmara de Tomar com relativa tranquilidade, Anabela Freitas (PS) foi reeleita com maioria absoluta (41,45%), passando a ter quatro eleitos no executivo, contra três do PSD. O PS obteve 7.972 votos (40,22%), enquanto o PSD obteve 6.817 votos (34,39%). O candidato pelo PSD foi José Delgado, escolhido para substituir Luís Boavida que teve de abdicar da candidatura por motivos de saúde.
A CDU, com 1.548 votos (7,81%), perdeu o único vereador que tinha no executivo, dado que Bruno Graça não conseguiu ser eleito. O Bloco de Esquerda alcançou 1.194 votos (6,02%) e o CDS-PP obteve 661 votos (3,34%). Já o candidato do Partido Trabalhista Português alcançou 333 votos (1,68%). Para a assembleia, o PS obteve 10 lugares, o PSD oito, a CDU dois e o Bloco de Esperda um. A abstenção em Tomar fixou-se nos 43% e registaram-se 792 votos em branco e 574 votos nulos.
Em relação às juntas de freguesia, a novidade foi a vitória de Amâncio Ribeiro (PS), que conquistou a Junta de Paialvo a Luís Antunes (CDU). O PSD perde a União de Freguesias de Serra e Junceira para os independentes e mantém a União de Freguesias de Além da Ribeira e Pedreira, a Junta de Freguesia de Carregueiros, a União de Freguesias de Casais e Alviobeira, a Junta de Freguesia de Olalhas e a Junta de Freguesia de São Pedro de Tomar. O PS mantém a Junta de Freguesia de Asseiceira, a União de Freguesias de Madalena e Beselga, a Junta de Freguesia de Sabacheira e a União de Freguesia de São João Baptista e Santa Maria com 3.456 votos (40,6%).

À margem

Pedro Marques também foi à festa

Pedro Marques, ainda vereador dos Independentes por Tomar (IpT) e antigo presidente da Câmara de Tomar, que foi mandatário da candidatura do PS nestas eleições autárquicas, foi um dos presentes nos festejos da vitória. Uma reviravolta na postura de Pedro Marques e do PS Tomar uma vez que até há poucos meses, o vereador dos IpT criticava a gestão socialista na câmara e exigia a demissão da presidente. Mas tudo mudou há poucos meses quando os independentes decidiram apoiar e integrar as listas do PS. Pedro Marques foi presidente da Câmara de Tomar durante dois mandatos nos anos 90. Em 2005 liderou, com Rosa Dias, a criação do movimento Independentes por Tomar tendo ambos sido eleitos vereadores. Nas eleições seguintes os IpT elegeram apenas um vereador registando cada vez menos votos de eleição para eleição.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo