Autárquicas 2017 | 04-10-2017 10:40

PS regressa às maiorias absolutas na Câmara do Cartaxo

PS regressa às maiorias absolutas na Câmara do Cartaxo

Pedro Ribeiro foi reeleito presidente da Câmara do Cartaxo. O PS ganhou com uma maioria absoluta de 52, 48%, elegendo cinco dos sete vereadores, sendo que os outros dois foram eleitos pela coligação PSD/Nós Cidadãos. O PS teve 5.580 votos, enquanto que a coligação PSD/NC ficou em segundo, com 2.948 votos. Tal traduz-se numa grande mudança relativamente há quatro anos, em que o PS apenas elegeu três elementos, tendo os restantes quatro sido repartidos por um movimento independente e pelo PSD.
O PS saiu também vitorioso para a assembleia municipal, elegendo 11 mandatos num total de 21. A coligação PSD/NC conquistou seis mandatos, a CDU três e o BE um. No que diz respeito às juntas de freguesia, o PS ganhou as eleições com maioria absoluta em todas com excepção de Pontével, onde foi o Movimento Independente Pluralista a vencer.
Pedro Ribeiro chegou à sede de campanha já perto das 23h00, onde dezenas de apoiantes o aguardavam para dar início aos festejos nesta que foi uma grande vitória do PS no Cartaxo. O candidato do PS preferiu ficar junto das mesas de voto para poder ir dando a conhecer os resultados aos que aguardavam por ele na sede de campanha.

Pedro Ribeiro fala de “campanha suja”
Pedro Ribeiro dedicou a vitória a Renato Campos, que foi o primeiro presidente eleito da Câmara do Cartaxo em democracia, e que esteve sempre ao lado do PS. Agradeceu também a todos os que deram a cara pelo partido. O reeleito presidente da Câmara do Cartaxo afirmou orgulhosamente que “já não tem dedos para contar as vitórias porque já são doze consecutivas no Cartaxo”. Referiu ainda o facto de mais de 70% das listas do PS serem compostas por pessoas independentes, sem qualquer tipo de filiação partidária.
O autarca lamentou ter enfrentado “uma campanha tão suja” como a campanha que antecedeu a destas autárquicas, não se recordando de uma campanha com tanta “difamação e insultos e tão orquestrada”, referindo que foi “a única mudança que uma determinada candidatura trouxe à nossa terra”. Terminou o seu discurso apelando à humildade e ao trabalho em equipa, esquecendo o símbolo que foi a votos e “trabalhando com todos os que querem fazer do Cartaxo, um Cartaxo melhor”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo