uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Contratado estudo para novo campus judiciário de Vila Franca de Xira

Contratado estudo para novo campus judiciário de Vila Franca de Xira

Tribunal de Contas ainda não se pronunciou sobre o negócio de compra das antigas escolas da Marinha em Vila Franca de Xira.

Edição de 04.10.2017 | Sociedade

O município de Vila Franca de Xira adjudicou a uma empresa de arquitectura, no dia 20 de Setembro, o projecto das futuras instalações do campus da justiça que irá ser construído nos antigos terrenos da Marinha. O projecto tem um custo de 21.500 euros e uma data de execução de 20 dias. A empresa em causa tem seis anos de actividade no ramo e já realizou outros dois trabalhos para os municípios de Amadora e Castelo Branco.
A obra destina-se à instalação do Tribunal do Comércio, que tem estado provisoriamente em Loures e será a âncora do novo espaço. Também o Tribunal de Família e Menores e os juízos cíveis, que funcionam em zonas distintas de Vila Franca de Xira, vão ser centralizados nos antigos edifícios da Marinha. O actual tribunal, no centro da cidade, vai continuar a funcionar mas apenas tratando dos processos crime e também ele será alvo de uma remodelação, como
O MIRANTE já noticiara.
O complexo onde funcionou até Agosto de 2009 o grupo de escolas nº1 da Armada, na zona ribeirinha da cidade, foi comprado pela Câmara de Vila Franca de Xira à empresa estatal Estamo, dona do imóvel, por oito milhões de euros. O Tribunal de Contas ainda não se pronunciou sobre a aquisição do espaço.
Alberto Mesquita (PS), presidente do município, entende que se tratou de uma “boa negociação” e que a mesma permitiu baixar o preço de compra daquele espaço dos 24 milhões de euros para os oito milhões finais. Até final do ano deverá estar negociada também a compra da vizinha fábrica da Cimianto e quando as duas propriedades forem municipais todo o espaço ribeirinho será adaptado para fruição pública.
O estudo preliminar de ocupação das antigas escolas da Marinha e da empresa Cimianto traça caminhos de aproveitamento do espaço e suas potencialidades, que passam por um novo terminal rodoviário para retirar os autocarros da Quinta da Grinja, acesso à auto-estrada do norte, novas passagens pedonais sobre a estrada nacional para permitir travessias em segurança para os bairros da Mata e do Paraíso, novas árvores e construção de novas rotundas entre Vila Franca de Xira e Alhandra.
No estudo estão também previstas áreas de estacionamento, lazer, zonas comerciais e áreas administrativas e associativas. Está igualmente previsto um corredor verde entre as duas localidades. A compra das escolas da Marinha vai também permitir realizar a tão almejada ampliação do campo de futebol do União Desportiva Vilafranquense e ao mesmo tempo a ampliação do Parque Urbano do Cevadeiro.

Contratado estudo para novo campus judiciário de Vila Franca de Xira

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido