uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Académica de Santarém acusa U. Almeirim de ‘chico-espertice’ na transferência de seis juniores
António Torres

Académica de Santarém acusa U. Almeirim de ‘chico-espertice’ na transferência de seis juniores

Clube escalabitano enviou exposição à Federação Portuguesa de Futebol a contestar os moldes como decorreu o processo e reclama pagamento de quase 1.500 euros de compensação.

Edição de 18.10.2017 | Desporto

A Académica de Santarém enviou uma exposição à Federação Portuguesa de Futebol (FPF) contestando a forma como se processou a transferência de seis futebolistas juniores para o União de Almeirim. O clube escalabitano diz que foi usado um expediente para contornar o novo regulamento de transferências entre clubes e assim evitar o pagamento da compensação prevista. Em causa estão quase 1.500 euros.
Sintetizando, a Académica de Santarém alega que alguns desses jovens atletas foram primeiro inscritos noutro clube – dois no Benfica do Ribatejo e dois no Pernes - e só alguns dias depois foram inscritos no União de Almeirim, embora tenham estado desde o início da época a treinar em Almeirim.
O MIRANTE sabe que na exposição enviada na sexta-feira, 13 de Outubro, para a Federação Portuguesa de Futebol, a Académica de Santarém aponta responsabilidades ao União de Almeirim, acusando-o de planear substerfúgios para contornar os regulamentos e prejudicar o clube da capital de distrito.
Refira-se que a quota de transferência de atletas da formação vai subindo exponencialmente à medida que o número de jovens envolvidos na mudança de um clube para outro aumenta. No caso da transferência de seis atletas, o valor a ser pago ao clube de onde esses atletas transitam é de 1.462 euros.
O presidente da Académica de Santarém, António Torres, diz que é público e confirmável através de publicações nas redes sociais que os jovens em causa estiveram sempre, desde o início da preparação da nova época, ao serviço do União de Almeirim e pede à FPF que aja em conformidade e faça cumprir os regulamentos.
António Torres diz ainda que os princípios do regulamento, que entrou esta época em vigor, estão correctos, mas há “buracos” que têm de ser corrigidos para não poderem ser “torneados com chico-espertices”.
O MIRANTE contactou o presidente do União de Almeirim, André Mesquita, que disse desconhecer o teor da exposição enviada pela Académica de Santarém à FPF, pelo que preferiu não fazer comentários. Mas adiantou que tentou reunir com a direcção da Académica de Santarém e nunca conseguiu, que diz lamentar. “Com uma conversa resolvia-se o assunto”, disse o dirigente.
António Torres diz que o presidente do U. Almeirim nunca lhe ligou e que este era um assunto que devia ser tratado entre presidentes, referindo que foi o que fez quando jogadores do Soccer Scalabis se transferiram para a Académica.

Académica de Santarém acusa U. Almeirim de ‘chico-espertice’ na transferência de seis juniores

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...