uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Piloto de Coruche campeão nacional da classe Super Proto de Trial
Sucesso. Equipa tem somado bons resultados na competição

Piloto de Coruche campeão nacional da classe Super Proto de Trial

Cláudio Ferreira já tinha vencido o Extreme em 2015 e 2016

Edição de 18.10.2017 | Desporto

O piloto Cláudio Miguel Lopes Ferreira sagrou-se campeão da classe Super Proto no Campeonato Nacional de Trial, tendo conquistado durante a época três vitórias, dois segundos lugares e dois quartos lugares. Cláudio corre pela equipa Auto-Higino, empresa de mecânica que pertence ao seu pai. O piloto de Coruche, de 30 anos, já foi vencedor do Campeonato Extreme em 2015 e 2016 com um protótipo da Mercedes e com o navegador Luís Filipe Pirralho. Para o sucesso do piloto e da equipa tem contribuído bastante o apoio da Junta de Freguesia da Branca, localidade do concelho de Coruche onde se situa a oficina de reparação de automóveis do pai do piloto.
Cláudio Ferreira desde cedo que mostrou amor pelos automóveis e por tudo o que estes envolvem. Em 2005 a convite de um amigo foi com o pai a um passeio de jipes e não demorou muito que comprassem um jipe Nissan Patrol 3.3 com o qual começaram a fazer passeios de todo o terreno. Nessa altura ainda era o pai que conduzia. À medida que o tempo foi passando foram fazendo alterações no jipe, até que acabaram por o trocar por um Nissan GR, que também foram alterando. Enquanto isso Cláudio Ferreira ia fazendo algumas provas de trial como navegador.
Em 2012, Cláudio inscreveu-se no campeonato de Extreme com o Nissan GR, com algumas alterações, e na primeira prova, tendo como navegador Vasco Martins e depois, nas provas seguintes, Bruno Nunes, o piloto classificou-se em quinto lugar no campeonato. No ano seguinte apresentou-se no campeonato com o jipe alterado, com a principal característica de ser mais curto, especificamente para o trial. Nesse ano de 2013 foi alternando de navegador, ora com Bruno Nunes ora com Luís Filipe Pirralho. A equipa conseguiu um segundo lugar.
No final do campeonato o jipe foi vendido a um piloto do arquipélago da Madeira e comprou-se um protótipo a um outro piloto. Quando começou a testar o protótipo deu-se conta que este não estava como pretendido para fazer o campeonato. A viatura foi desmanchada e alterou-se tudo o que era necessário. Alterações desse nível são demoradas o que fez com que no início do campeonato de 2014 não tivessem o jipe pronto para competir. Cláudio foi então navegador de um amigo, que correu pela equipa, a Auto-Higino. Apesar de todos os contratempos conseguiram sagrar-se campeões.
Em 2015 e 2016 conseguiu sagrar-se campeão com o proto Mercedes, com Luís Filipe Pirralho como navegador. Mas neste ano de 2017, a equipa alterou os objectivos e começou a participar no Campeonato Nacional de Trial. Inicialmente previa-se a participação em apenas algumas provas do Campeonato Nacional, devido aos custos, uma vez que as provas são mais distantes e é necessária toda uma logística, que não existia no Extreme. Em vez de se ir para as provas no próprio dia, neste campeonato é necessário ir antes, o que envolve alojamentos e refeições.
Na primeira prova, que se realizou em Valongo, a equipa alcançou um primeiro lugar, o que fez com que a equipa redefinisse objetivos e resolve-se fazer todas as provas. Na segunda prova, em Torres Vedras, o proto Mercedes teve uma avaria no motor e a equipa caiu para o quarto lugar. Na terceira, em Mação, o proto Mercedes ainda não estava pronto e um amigo do piloto, José Gaspar, emprestou o seu carro a Cláudio, que conseguiu um quarto lugar com o navegador Luís Pirralho. Já com a viatura pronta, Cláudio Ferreira foi disputar a quarta prova, em Gondomar, tendo obtido um segundo lugar. Na quinta e sexta provas, em Bragança e Ourém, respectivamente, a equipa conseguiu subir ao primeiro lugar do pódio. Na última prova, a 15 de Outubro, o piloto conquistou o segundo lugar, o que lhe garantiu a vitória no campeonato.
Para o piloto, esta aventura no mundo do trial só foi possível com o seu empenho e dedicação e do navegador Luís Pirralho, destacando também a ajuda e apoio dos pais (donos da Auto-Higino) e dos patrocinadore:s Construções e Confragens Vasmorais, Pakelo Lubricants, Herbumatic Portugal e Automatic Choice, bem como do apoio da junta de freguesia.

Piloto de Coruche campeão nacional da classe Super Proto de Trial

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...