uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Vereadora com mobilidade reduzida precisou da ajuda dos bombeiros para assistir a tomada de posse
PROBLEMA. Manuela Ralha contou com a ajuda dos bombeiros para chegar ao salão nobre

Vereadora com mobilidade reduzida precisou da ajuda dos bombeiros para assistir a tomada de posse

Caso passou-se na tomada de posse da Assembleia de Freguesia de Alverca e do executivo dessa junta. O local escolhido para a sessão, no quartel de bombeiros da cidade, não é acessível a pessoas que se deslocam em cadeira de rodas.

Edição de 25.10.2017 | Política

A vereadora da Câmara de Vila Franca de Xira, Manuela Ralha (PS), sentiu dificuldades em aceder à tomada de posse dos eleitos da Assembleia de Freguesia de Alverca porque o edifício onde se realizou a sessão, o quartel de bombeiros da cidade, não tem acesso a pessoas com mobilidade reduzida. A autarca desloca-se em cadeira de rodas e não conseguiu superar sem ajuda as escadas de acesso ao salão.
O episódio marcou a noite da tomada de posse. Valeu a ajuda dos bombeiros que estavam no local e ajudaram Manuela Ralha a subir os vários lances de escadas mas ainda assim a situação gerou desconforto entre os moradores e na manhã seguinte as redes sociais já lamentavam a situação.
Manuela Ralha é também presidente da associação Mithós e ao longo do mandato terá em mãos diversas situações semelhantes no concelho, de edifícios públicos e privados que não têm ainda garantidas acessibilidades para quem precisa. Já em 2015, a O MIRANTE, a agora vereadora reconhecia que as acessibilidades no concelho para pessoas com mobilidade reduzida eram “muito más”, havendo mesmo serviços públicos onde os utentes têm de ser atendidos na rua, como as Finanças e o Tribunal.
“Não se percebe por que motivo escolheram este espaço havendo tantos outros na cidade com condições para receber mais pessoas e pessoas com mobilidade reduzida, realmente é triste mas pode servir de alerta”, lamentou João Nunes Bento, morador, a O MIRANTE.
A falta de espaço foi outro dos grandes problemas, com muita a gente a só conseguir ver a tomada de posse no corredor e das escadas. A escolha do local foi feita pela presidente da assembleia que notou que tinha como objectivo reconhecer o papel importante dos bombeiros no combate aos fogos deste Verão. A bancada socialista ainda comunicou com antecedência à presidente da assembleia a inexistência de acessos para pessoas com mobilidade reduzida mas a cerimónia continuou marcada para o mesmo local.

Vereadora com mobilidade reduzida precisou da ajuda dos bombeiros para assistir a tomada de posse

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...