uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Dionísio Cordeiro

Dionísio Cordeiro

Gerente da Oficina Multimarcas Dijocarros Lda., Perofilho (Santarém)

Edição de 16.11.2017 | Agora Falo Eu

O que punha a funcionar na sua terra que não existe?

Arranjaria um centro de acolhimento para os idosos nas melhores condições porque na minha opinião não existem tais infraestruturas.

Costuma gastar dinheiro com o futebol?

Sim. Sou sócio do Sport Lisboa e Benfica, o maior clube do mundo. Vou ao estádio assistir aos jogos e, como consequência, sofro a ver futebol.

Conseguia viver sem telemóvel?

Não, não conseguia. Fui dos primeiros a ter telemóvel no país e na minha vida profissional é indispensável.

Se pudesse ter um super poder qual escolheria? Porquê?

Se pudesse ter um super poder gostaria de ser primeiro-ministro para conseguir colocar este país na linha, poder escolher homens sérios e fazer um governo que fosse bom para todos.

Consegue manter a calma perante um imprevisto?

Normalmente fervo em pouca água mas procuro conter-me. Respiro fundo e dou um compasso de espera.

Do que é que sente mais saudades? Porquê?

Tenho muitas saudades do meu pai e de quando a palavra e um aperto de mão eram sagrados.

É daquelas pessoas que gosta de estacionar o automóvel à porta de todos os locais onde vai?

Sim, gosto. Por ser mais perto e porque o meu tempo é escasso.

Já alguma vez foi mandado parar numa operação Stop?

Já tenho parado em operações Stop, o que é natural pelos anos há que já conduzo. Considero que quem me manda parar está a fazer cumprir a lei.

Costuma fazer habitualmente a separação dos lixos domésticos?

Lá em casa a minha esposa encarrega-se desse assunto da separação dos lixos domésticos. Concordo que isso seja feito e com responsabilidade de todos os lados. Mas espero que não seja tudo para o mesmo saco.

Qual é a pior coisa que lhe podem fazer?

Mentiras e traições. Porque geram desconfianças.

Costuma comprar um jornal pelo que vê na primeira página?

Não. Quando entendo que devo comprar um jornal é porque tenho tempo para o ler.

A que prato não resiste?

Não resisto a um arroz de cabidela. Na casa dos meus pais era frequente a minha mãe fazer e até hoje continua a ser o meu prato de eleição.

À mesa, branco ou tinto?

Tinto. Porque o vinho branco provoca mais secura. Gosto do vinho para acompanhar os pratos de carne.

Ainda há dinheiro para comer fora?

Sim. Umas vezes mais, outras vezes menos. E por vezes há situações que não temos alternativa.

Qual o alimento que não comia nem que lhe pagassem?

Sushi. Não gosto de peixe cru.

Sabe cozinhar ou prefere apreciar a comida no prato?

Não sei cozinhar nada.

Já aderiu à moda de correr/caminhar pelas ruas?

Aderi por motivos de saúde. Acho que é uma mais valia para ajudar as pessoas a terem um estilo de vida mais saudável.

Costuma dar dinheiro a mendigos na rua?

Normalmente sim. Porque gosto de ser solidário.

Acha que o sistema de justiça funciona em Portugal? Porquê?

O sistema de justiça funciona mal. Dificilmente agarram os chamados grandes. Normalmente a justiça só funciona para castigar os pequenos.

Que conselho daria ao primeiro-ministro?

Diria ao primeiro-ministro para passar das promessas às atitudes pois há muito para fazer nomeadamente a nível dos fogos.

Dionísio Cordeiro

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...