uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Se voltasse aos trinta anos só daria importância aquilo que é verdadeiramente relevante

Se voltasse aos trinta anos só daria importância aquilo que é verdadeiramente relevante

Luciana Nelas nascida a 27/06/1948, Presidente da Casa S. Pedro de Alverca

Luciana Maria Maia Nelas considera que a construção do novo Hospital Vila Franca de Xira foi um marco extraordinariamente importante para a região que o mesmo abrange mas um acontecimento que também a fez feliz foi ter sido dado o nome Salgueiro Maia à nova ponte entre Santarém e Almeirim. “Trata-se de alguém a quem devemos a liberdade e a democracia”, sublinha.

Edição de 16.11.2017 | Aniversário

Houve algum acontecimento por volta dos seus trinta anos que tenha influenciado decisivamente a sua vida?

Perto dos trinta anos, não conseguindo engravidar apesar dos muitos tratamentos a que me sujeitei, decidi, em conjunto com o meu marido, não os continuar a fazer e adoptar uma criança. Começámos a dar os primeiros passos nesse sentido, em Setembro de 1978 e, em finais de Novembro desse ano, soube que engravidara. É evidente que este milagre transformou completamente a nossa vida.

Portugal aderiu à CEE (actual União Europeia) há pouco mais de trinta anos (1 de Janeiro de 1986). Como acha que seria actualmente o país se essa adesão não tivesse acontecido?

Seria um país ainda menos desenvolvido e com um atraso muito mais significativo em relação a outros países europeus nas áreas da saúde, educação, cultura, desporto, acessibilidades, etc.

Viveu bem a sua juventude ou acha que a desaproveitou?

Os tempos de então não permitiam que se vivesse a juventude como hoje. Embora tivesse tido uma adolescência feliz, até aos 19 anos estive num colégio interno, o que já por si diz tudo.

Se voltasse a ter trinta anos e soubesse o que sabe hoje o que faria diferente em termos pessoais e profissionais?

Em termos pessoais teria, sem dúvida, mais capacidade para apenas dar importância àquilo que na vida é verdadeiramente relevante. Profissionalmente, teria tentado conciliar a vida familiar com a vida académica e ir para a faculdade bastante mais cedo.

Há quantos anos conhece O MIRANTE? Que alterações lhe faria?

Conheço o Mirante há já 23 anos. É minha leitura semanal e utilizo-o para publicitar informações relativas à Casa S. Pedro a que presido. Sinceramente, não sei o que poderia mudar no jornal.

Onde residia há trinta anos? O que é que gostava que voltasse a ser como era? O que é que faz mais falta à região?

Há 30 anos já residia em Alverca. Quando para aqui vim encontrei uma terra em franco desenvolvimento, com grandes indústrias na área da metalomecânica. Gostaria que fábricas como a Mague e outras ainda existissem. Quanto ao que acho que faz falta ao concelho de Vila Franca de Xira acho que é o ensino universitário.

Se voltasse aos trinta anos só daria importância aquilo que é verdadeiramente relevante

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...