uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Apanhar o autocarro é perigoso no lugar das Quintas

Paragens de transportes públicos sem condições e sem passadeira para peões atravessarem a movimentada EN 1.

Edição de 29.11.2017 | Sociedade

Os habitantes de lugar das Quintas, no limite norte do concelho de Vila Franca de Xira, têm de atravessar a movimentada Estrada Nacional (EN) 1 por sua conta e risco sempre que querem apanhar o autocarro rumo ao Carregado, já que não existe qualquer passagem para peões junto à paragem.
Luísa Fajardo, moradora e presidente da Associação Recreativa e Cultura de Lugar das Quintas, diz que já contactou a Infraestruturas de Portugal para tentar a resolução da situação, mas que a resposta obtida foi de que não se podem colocar passadeiras perto de rotundas. “É um absurdo. Se andarmos pelo concelho, quantas passadeiras estão à saída de rotundas?”, atira.
A este problema juntam-se as más condições das paragens de autocarros existentes no lugar, uma de cada lado da EN 1. Uma das paragens encontra-se em estado degradado, com a chapa a apresentar sinais de ferrugem e com a estrutura a levantar; a outra é apenas um pequeno sinal fixado num poste de electricidade no meio de vegetação, na berma da estrada, sem qualquer abrigo e deixando os habitantes expostos a intempéries. “Parece que estamos no meio da selva”, conta a moradora com humor.
Os transportes públicos ganham especial relevância na vida dos habitantes das Quintas uma vez que esta aldeia não tem um terminal de multibanco que permita levantar dinheiro e fazer pagamentos. Quando chega o início do mês aqueles que precisam de pagar as contas pelo multibanco são obrigados a deslocar-se até Castanheira do Ribatejo, a sede de freguesia e povoação mais próxima. Muitos deles, já idosos, têm de recorrer aos transportes públicos.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...