uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Entre os estudos e o futebol o mérito é de quem concilia os dois
futuro. Jovens talentos foram distinguidos em Santarém

Entre os estudos e o futebol o mérito é de quem concilia os dois

Associação de Futebol e McDonald’s premeiam jovens que se destacam na escola e nos relvados

Edição de 28.12.2017 | Desporto

Tiram boas notas e jogam à bola como ninguém. João Cruz, João Guedes, Rodrigo Rosa e Rui Belchior são de tenra idade mas já dão que falar pelo seu desempenho na escola e nos seus clubes. Mas qual será o segredo do sucesso? Foi o que O MIRANTE foi descobrir entre alguns craques da bola na entrega dos prémios “Mérito Académico McDonald’s” pela Associação de Futebol de Santarém e pelo restaurante McDonald’s de Santarém. Iniciativa que decorreu no dia 15 de Dezembro, no restaurante da capital de distrito.
Sorridente e com as respostas na ponta da língua, João Cruz, juvenil na Associação Académica de Santarém, admite que tem sido fácil conciliar a escola com o futebol, apesar de os estudos ocuparem grande tempo do dia e de os treinos decorrerem, durante uma hora, três vezes por semana. Do tempo que sobra dos estudos, dos treinos e dos jogos ainda se consegue arranjar umas horas para estar com os amigos. O jovem de 17 anos, a frequentar o 12º ano de escolaridade, confessa que é preciso estudar muito e não faltar às aulas. E namoradas? O jovem que pratica futebol desde os sete anos diz que tem colegas que estão sempre a namorar. “Realmente o futebol é um chamariz para isso, mas eu não tenho namorada”, ri-se.
A jogar pelo Clube Amador de Desportos do Entroncamento (CADE), Rui Belchior, de 15 anos e a jogar futebol desde pequeno, diz que nunca se deve trocar os estudos por qualquer actividade de que se goste muito e o segredo é meter empenho em tudo o que se faz. “Esta distinção mostra que é possível conseguir conciliar os estudos com a prática desportiva e eu consegui”. O aluno, a frequentar o 10º de escolaridade, revela que uma das formas de se ter sucesso escolar é estar-se atento nas aulas. “Assim é meio caminho andado para ter boas notas, ter tempo para me dedicar mais ao futebol e de estar com os meus amigos e namorada”.
João Cruz e Rui Belchior confessam que a escola estará sempre em primeiro lugar, mas o futebol nunca será deixado para trás. De tal forma que gostavam de seguir a carreira de futebolista. “Se não der, obviamente que tenho de prosseguir com os estudos”, diz o jogador do CADE. Já o jovem de 17 anos adianta: “realmente o que eu gosto é de jogar futebol, não preciso de ser futebolista para continuar a jogar futebol, será muito difícil, mas nunca deixarei de jogar”.
Nesta cerimónia foram ainda distinguidos João Guedes, iniciado da Associação Académica de Santarém e Rodrigo Rosa, júnior do Clube Desportivo Amiense que faltaram à cerimónia porque a vida não é só futebol e fizeram jus ao lema da distinção, tendo colocado os estudos e o trabalho, nesse dia, em primeiro lugar. Foram os pais dos jovens, um deles estava em aulas e outro a trabalhar, que receberam o prémio. O prémio “Mérito Académico McDonald’s”, premeia os melhores alunos e atletas inscritos nos vários escalões no futebol e futsal, que frequentam escolas do distrito de Santarém, do 7º ao 12º ano de escolaridade. Os premiados, além do diploma, recebem 150 euros e dois bilhetes para um jogo em Portugal da selecção nacional.

Entre os estudos e o futebol o mérito é de quem concilia os dois

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...