uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Autarca vai às piscinas do concelho vizinho por falta de condições nas da sua terra

Edição de 03.01.2018 | Sociedade

O eleito da Assembleia Municipal de Azambuja Daniel Claro não pode frequentar as piscinas da sua terra, por estas não estarem adaptadas a pessoas com mobilidade reduzida, e tem de se deslocar ao concelho vizinho de Alenquer. Nem por ser autarca há quatro mandatos na assembleia, apesar de na oposição, Daniel Claro tem conseguido mudar as condições das piscinas de Azambuja e na mais recente sessão da assembleia reclamou por obras que permitam a colocação de escadas de inclinação suave com corrimão, que permitam uma entrada em segurança no tanque.
Neste caso só existe duas soluções: ou esvazia-se as piscinas para se construir as escadas ou então coloca-se um elevador. “Esta é uma mágoa que tenho de não poder frequentar as piscinas da minha terra. É que não tenho hipótese de entrar lá dentro”, desabafa, dizendo que, se estivesse no executivo era um dos pontos que trabalhava. O eleito, que tem dificuldades de locomoção devido à obesidade e a sofrer de artrite reumatoide, sugere que a câmara “faça um levantamento das situações não só em relação às piscinas mas também a outros edifícios públicos”.
O presidente do município, Luís de Sousa (PS), respondeu que este é um assunto que também o preocupa e que, depois de passarem as festas de Natal e Ano Novo, vai pedir para que se faça esse levantamento de necessidades para melhorar os acessos. “Vamos verificar o nível dos edifícios e dos acessos pedonais”, afirmou. O presidente referiu ainda que há alguns anos existia um elevador de acesso ao tanque para os alunos da CERCI – Flor da Vida de Azambuja, mas o equipamento deteriorou-se e já não funciona.
O eleito António Jorge Lopes (PSD), lembrou que em 2016 a câmara tinha aprovado a realização de um estudo sobre o acesso aos edifícios, que nunca foi realizado. Recorde-se que as piscinas estiveram encerradas quatro anos por deficiências e foram requalificadas durante 2017, num investimento de cerca de 350 mil euros.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...