uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Luz verde para videovigilância na zona ribeirinha de Vila Franca de Xira

Ministério da Administração Interna autorizou município a colocar 20 câmaras

Edição de 11.01.2018 | Sociedade

O Ministério da Administração Interna autorizou o município de Vila Franca de Xira a instalar e utilizar duas dezenas de câmaras de videovigilância na zona ribeirinha da sede de concelho. O despacho ministerial foi publicado em Diário da República no dia 2 de Janeiro.
As 20 câmaras de vigilância vão ser colocadas de forma a abranger uma área com 3,5 quilómetros de extensão, entre o caminho pedonal ribeirinho, parque urbano do Cevadeiro e Jardim Municipal Constantino Palha. O município vai agora avançar com o concurso público para instalação do equipamento, cujo trabalho de fiscalização das imagens ficará sob a alçada da PSP, com quem o município está a articular o funcionamento.
A colocação das câmaras, diz o município em comunicado, destina-se a proporcionar uma “melhor protecção e segurança” das pessoas e bens da cidade, “visando também a prevenção da prática de crimes naqueles locais”. A autarquia acrescenta que serão “salvaguardadas” as medidas previstas na legislação de “respeito pela privacidade” dos moradores e visitantes da zona ribeirinha.
Em Novembro de 2016 os moradores da zona ribeirinha da cidade já se tinham queixado de insegurança, depois de vários assaltos ao bar Flor do Tejo, situado junto ao antigo cais, e a garagens da cidade, bem como de destruição e vandalismo de equipamentos públicos.

Videovigilância não resolve tudo
O concelho de Vila Franca de Xira já tem alguns locais sob controlo de videovigilância mas a sua eficácia tem sido duvidosa. Um dos exemplos acontece na passagem superior pedonal do Forte da Casa, que une aquela vila ao passeio ribeirinho. Os elevadores foram vandalizados mesmo debaixo das câmaras e apesar dos autores terem sido filmados a sua identificação não foi possível, devido quer aos gorros e bonés usados bem como à falta de luminosidade nos espaços.
Já em Junho do ano passado, a O MIRANTE,
o presidente do município, Alberto Mesquita, reconhecia “algumas insuficiências” no sistema, mas sublinhava que a vigilância tem ajudado a prevenir um maior número de casos de vandalismo. E chegou mesmo a deixar o aviso: quem for apanhado nas imagens – como já aconteceu - vai ser denunciado à polícia. Se depois isso terá alguma consequência é que não se sabe, como aconteceu.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...