uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Terras de rio

A última vez que aqui escrevi sobre o Tejo alguns consideraram-me exagerado. Infelizmente tinha razão. Enquanto isto, Amarante, com o seu Tâmega, convidou-me a vivê-la durante um fim de semana. Esta é uma terra de rio com muito encanto. Provavelmente este é um dos segredos mais bem guardados de Portugal; encanto, beleza, cultura e tradição.

Edição de 01.02.2018 | Opinião

As terras de rio têm um encanto especial. Por ora o Tejo não conta, melhor, conta, devemos acreditar que o desencanto é momentâneo. A última vez que aqui escrevi sobre o Tejo alguns consideraram-me exagerado. Infelizmente tinha razão. Enquanto isto, Amarante, com o seu Tâmega, convidou-me a vivê-la durante um fim de semana. Esta é uma terra de rio com muito encanto. Provavelmente este é um dos segredos mais bem guardados de Portugal; encanto, beleza, cultura e tradição. Não é Porto, não é Douro, não é Minho nem Trás-os-Montes, é tudo isto. Esta é terra de verde, tinto ou branco, fica bem com tudo. Com este vinho, tipicamente português, prova-se que em “Roma sê romano” e que o vinho nesta terra é verde. A diversidade de Portugal é bem marcada. No sábado de manhã o mercado é, quase, igual a todos os outros. Já à tarde a diferença é alguma, tudo trabalha e na hora da missa a igreja que acolhe o “famoso” S. Gonçalo está a abarrotar. Passa-se a histórica ponte sobre o Tâmega, onde os franceses invasores marcaram passo, e a rua 31 de janeiro está mesmo ali, incontornável. As confeitarias e as tabernas brigam-se pelo pódio. Não me lembro de outra rua assim. A oferta é tanta que um só fim de semana não chega, sobretudo, porque fora do centro também há vida; não podemos esquecer a Taberna do Coelho, mesmo sabendo que para lá chegar não é fácil. Uma vez lá, o Filipe faz o resto, incluindo o contar a história do ancestral estabelecimento. Amarante e arredores tem muitos mas muitos lugares de comida e bebida que não podem ser ignorados com um pormenor muito distintivo: não têm ecrã de televisão. Não posso terminar sem uma justíssima referência ao Des Arts, Hostel & Suites, o antigo Hotel Silva renovado que elevou o alojamento na cidade. Charme, muito charme por todo o lado a merecer uma visita logo que possível. Este país é na verdade fantástico mesmo que muitos estraguem os rios e o resto.
Carlos A. Cupeto
Universidade de Évora

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...