uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Socialistas da Póvoa e Forte divididos por causa de nomeação municipal
BRONCA. Relações entre Alberto Mesquita (na foto) e socialistas da Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa estão tremidas - foto arquivo O MIRANTE

Socialistas da Póvoa e Forte divididos por causa de nomeação municipal

Em causa está a recondução de António Inácio à frente da Escola de Toureio José Falcão. Assembleia geral de militantes fala em decisão que quebra laços de confiança, por parte do presidente da Câmara de Vila Franca de Xira. Alberto Mesquita diz que é preciso separar as águas. António José Inácio mostra-se surpreendido com essa posição.

Edição de 01.02.2018 | Política

A recondução de António José Inácio à frente da Escola de Toureio José Falcão, em Vila Franca de Xira, desagradou a muitos socialistas da Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa, que criticam a decisão do presidente da Câmara de Vila Franca de Xira e seu camarada de partido, Alberto Mesquita (PS).
A polémica é uma consequência directa das últimas autárquicas, em que Inácio –um ex-militante do PS - concorreu numa lista independente com outros 11 ex-militantes socialistas à Junta de Freguesia de Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa, tendo sido a segunda força mais votada nessa união de freguesias, a seguir ao PS.
O facto de Alberto Mesquita ter renomeado o dissidente socialista para a Escola de Toureio José Falcão gerou descontentamento na Secção do PS de Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa que, em plenário de militantes realizado a 6 de Novembro de 2017, manifestou “consternação” e “imensa surpresa” perante a nomeação de António Inácio.
“O cargo para que foi conduzido é de confiança política. Daí a nossa estupefação, indignação e tristeza pelo facto do camarada Alberto Mesquita ter premiado alguém que se pôs contra o Partido Socialista”, lê-se na posição tomada pela secção do PS da Póvoa e Forte da Casa, a que o MIRANTE teve agora acesso.
No documento aconselhava-se ainda os militantes a desvincularem-se dos órgãos concelhios, bem como a recusar integrar qualquer órgão concelhio nas recentes eleições internas. Alguns militantes, sabe
O MIRANTE, acataram essa recomendação. Entre eles o presidente da junta daquela união de freguesias, Jorge Ribeiro. O autarca recusa prestar declarações sobre o assunto. Também Paulo Afonso, o novo presidente da concelhia, recusa comentar o caso.

“Acima de tudo deve estar a competência”
Contactado por O MIRANTE, o presidente do município, Alberto Mesquita (PS), também recusou falar da questão interna do PS, notando que essa deve ser resolvida “em sede própria”. Mas garante não misturar as situações e mostra total confiança no trabalho de António Inácio. “O trabalho que tem desenvolvido na escola inspira confiança. Não há ninguém insubstituível mas o trabalho dele tem sido importante para a afirmação da nossa marca que é a tauromaquia. Há alunos a ter nome nacional e internacional graças ao trabalho que tem sido desenvolvido na escola. Foi esta visão das coisas que me levou a levar a proposta de nomeação. A tentativa de se misturar as coisas não me parece adequado. Acima de tudo deve estar a competência”, explica.
Já António Inácio mostra-se “surpreendido” com a notícia e afiança desconhecer o caso. “Não percebo qual a motivação deles porque a escola tem tido uma evolução enorme nos últimos anos. Graças ao trabalho de toda a direcção e equipa, a escola tem crescido e tem-se afirmado nacional e internacionalmente. Além de estarmos com mais saídas vamos fechar o ano de 2017 com um saldo positivo de seis mil euros. Isso revela o esforço de todos”, explica.

Socialistas da Póvoa e Forte divididos por causa de nomeação municipal

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...