uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Vacas à solta em Mação assustam população
População anda inquieta com presença dos animais - fotos O MIRANTE

Vacas à solta em Mação assustam população

Animais, que pertencem a uma casa agrícola da zona de Penhascoso, andaram a vaguear nas estradas e a pastar nas hortas das imediações.

Edição de 01.02.2018 | Sociedade

Os Moradores de Penhascoso, Aboboreira e Serra, no concelho de Mação, queixam-se que andam vacas bravas à solta que lhes destroem as hortas, invadem por vezes a via pública e impedem-nos de ir aos terrenos por terem medo de ser atacados. Os animais são propriedade da ganadaria Vaz Monteiro, recentemente instalada na quinta do Casal da Fonte, em Penhascoso, e, de acordo com a Câmara de Mação, não tem licenciamento relativo à exploração.
Contactada por O MIRANTE, Rita Vaz, da ganadaria Vaz Monteiro, não respondeu ao facto de não ter licença ou guias de trânsito para a exploração pedidos na Câmara de Mação, mas afirma que já reuniu novamente os animais nos terrenos da quinta, não representando agora perigo para a população.
Rita Vaz diz que a ganadaria foi alvo de um ataque de cães, que causou baixas no efectivo por três vezes consecutivas. Explica que os cães estiveram na entrada da cerca da quinta e devido a esse episódio assustaram as vacas que se dispersaram pelos terrenos vizinhos, impedindo que se reunisse o efectivo.
A ganadeira adianta ainda que a população local tem perseguido os animais todos os dias, dificultando o seu trabalho de reunir as vacas na quinta. “Houve até tiros contra um bezerro de outra exploração que se juntou aos meus, o que originou a separação do efectivo, que andou pelos terrenos vizinhos e na estrada”, disse.

“Somos quase todos velhos e temos medo das vacas”
Ana Reis tem 64 anos e sempre teve as suas hortas em Penhascoso. “Agora não vou à horta porque fica perto da Quinta da Fonte onde pertencem as vacas. Os animais, como não têm o que comer, vão para as hortas e tenho medo que me ataquem”, contou a O MIRANTE.
Maria Lucília Matos, 86 anos, também não se arrisca a chegar perto da horta e já nem vai apanhar lenha com medo que as vacas possam andar por perto. “Somos quase todos velhos e temos medo das vacas. O meu sobrinho já apresentou queixa na GNR por causa das vacas andarem nas hortas e nos pomares das pessoas aqui de Aboboreira”, contou.
O presidente da Junta de Freguesia de Mação, Penhascoso e Aboboreira, José Martins, disse a O MIRANTE que a junta tem recebido várias queixas de cidadãos porque as vacas invadem as hortas e por vezes andam nas estradas. O autarca adiantou que ele próprio já se deparou com vacas na estrada que liga Penhascoso à Aboboreira e teve de esperar que estas abandonassem a via para passar. “Nessa altura a estrada ainda não tinha sinalização a alertar para gado à solta, agora já tem, para as pessoas não serem apanhadas de surpresa”, disse.
José Martins explicou que a junta pouco pode fazer para resolver a situação, além de alertar as autoridades. “Informei a GNR, informei o presidente da Câmara de Mação, na qualidade de autoridade máxima da protecção civil, e todos os dias percorro as estradas várias vezes e ouço as pessoas com queixas de hortas destruídas”, concluiu.
O presidente da Câmara de Mação, Vasco Estrela, diz que este problema é de “gestão difícil, porque a responsabilidade da câmara nesta situação é muito pouca, mas preocupa-me, visto que está em causa a segurança das pessoas”. Adiantou que está em contacto com a Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária e com a GNR, para avaliar a resolução da situação e as queixas das pessoas vão seguir para o Ministério Público.

Vacas à solta em Mação assustam população

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...