uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Vereadora com mobilidade reduzida despertou consciências em Vila Franca de Xira
INTERVENÇÃO. Há dois anos Manuela Ralha integrou um protesto simbólico da Mithós que decorreu nas ruas da cidade de Vila Franca de Xira - foto arquivo O MIRANTE

Vereadora com mobilidade reduzida despertou consciências em Vila Franca de Xira

Autarca Manuela Ralha admite que a preocupação com o tema é hoje maior do que no passado. Algumas medidas já foram tomadas desde o início do mandato.

Edição de 01.02.2018 | Sociedade

Nos últimos meses a questão das acessibilidades esteve na ordem do dia no concelho de Vila Franca de Xira, com a construção de novas rampas de acesso para cadeiras de rodas um pouco por todas as freguesias, criação de uma comissão municipal para a deficiência e adaptação de espaços públicos para terem maior mobilidade.
O novo executivo camarário tem a sua primeira vereadora com mobilidade reduzida e isso acarreta desafios que, até aqui, não estavam sempre na agenda. Como o facto de ter de se realizar reuniões e cerimónias em espaços que sejam acessíveis, por exemplo. A vereadora Manuela Ralha, que continua também a ser a presidente da Mithós – Histórias Exemplares, já admitiu a sua vontade de, nos próximos quatro anos, virar o concelho do avesso no que diz respeito às acessibilidades e fazer cumprir o decreto lei que exigia que, até Fevereiro de 2017, todos os edifícios estivessem munidos de acessibilidades para todos.
“Já era tempo da inclusão ser um motivo de preocupação e estar na agenda diária. Obviamente que agora é mais notória essa preocupação, sendo eu uma pessoa com deficiência e aparecendo em iniciativas dessa área. É verdade que havia uma área de políticas sociais na deficiência que não era muito trabalhada até agora. Porque temos imensas áreas de intervenção. Mas neste momento é uma preocupação”, explica Manuela Ralha a O MIRANTE.
A autarca diz que quando foi desafiada para integrar as listas socialistas à câmara foi já “com a preocupação” do presidente Alberto Mesquita em fazer trabalho na área da deficiência e mobilidade. “Passou a ser um assunto que está sempre na agenda diária da câmara”, assegura.
Manuela Ralha não se mostra incomodada por só agora se começar a ver mais trabalho feito em prol das acessibilidades. Afinal de contas, mais vale tarde do que nunca. E a sua ambição é deixar um concelho com maior mobilidade até ao fim do mandato. Apoio financeiro à adaptação de residências de pessoas com deficiência, adaptação de manuais e guias nos espaços expositivos e culturais do concelho para as diferentes necessidades e a criação da Comissão Municipal para a Deficiência (CMD) são algumas das suas conquistas.
Espaços públicos acessíveis até final deste ano
Até final deste ano a maioria dos espaços públicos municipais estarão acessíveis, garante Manuela Ralha. Da primeira reunião da CMD já saíram as prioridades de intervenção para o futuro: emprego e formação profissional, direitos, respostas sociais e infoinclusão.
A autarca defende que o Estado deve realizar uma fiscalização mais apertada ao cumprimento da lei das acessibilidades nos espaços privados abertos ao público. “Ainda há muito a fazer para mudar mentalidades. Nos prédios urbanos, por exemplo, ainda persiste grande intolerância por parte dos habitantes e dos condomínios, que não permitem que sejam feitas adaptações. É mais frequente do que se pensa a tentativa de impedimento de colocação de rampas, plataformas elevatórias e cadeiras elevatórias nos prédios por parte dos restantes moradores”, lamenta Manuela Ralha.

Passeios continuam por melhorar

Há dois anos a Mithós promoveu uma acção de alerta nas ruas de Vila Franca de Xira para as dificuldades de mobilidade nos passeios e acessibilidade a edifícios públicos. Manuela Ralha diz que algumas coisas foram melhoradas mas que outras continuam a ser uma preocupação.
“Obviamente que neste cargo vou continuar a reivindicar pelas melhorias que já na altura reivindicava. As preocupações são rigorosamente as mesmas. Tanto o anterior executivo da junta como o actual estão profundamente empenhados em fazer alterações e rebaixar os passeios. Mas este é um trabalho que não fica apenas por aí. Às vezes as passadeiras são rebaixadas mas depois o passeio está em más condições”, diz a autarca.
Manuela Ralha diz que há um levantamento feito dos constrangimentos existentes na cidade. “A primeira iniciativa será o trabalho em parceria com as juntas de freguesia para que o trabalho comece a ser feito”, explica a O MIRANTE. A falta de acesso ao tribunal e às finanças continua a ser uma forte preocupação.

Vereadora com mobilidade reduzida despertou consciências em Vila Franca de Xira

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...