uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Urbanização do Porto Alto tem de aguentar mais um ano com o mau cheiro de ETAR
Moradores queixam-se de maus cheiros há vários anos

Urbanização do Porto Alto tem de aguentar mais um ano com o mau cheiro de ETAR

Moradores do Sapal Entre Águas queixam-se há muitos anos do mau funcionamento do equipamento. Águas do Ribatejo está a construir uma nova estação de tratamento de esgotos para servir essa zona mas só para o ano é que estará pronta.

Edição de 08.02.2018 | Sociedade

Após mais de dez anos de queixas por parte dos moradores da urbanização do Sapal Entre Águas, no Porto Alto, Benavente, os maus cheiros oriundos da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) da Quinta dos Gatos, parecem ter fim à vista mas ainda devem durar mais um ano. Em Dezembro de 2017 arrancou a construção de uma nova ETAR, situada na Herdade de Palhavã, que irá substituir as ETAR de Quinta dos Gatos, Bordalo Pinheiro e Pendente 2 (Porto Alto), cujo funcionamento já não é satisfatório. Com esse novo equipamento, os habitantes esperam que o fedor habitual desapareça.
Segundo informações fornecidas pela empresa Águas do Ribatejo a O MIRANTE, desde 2016 que a ETAR da Quinta dos Gatos funciona nos limites da sua produção e revela incapacidade para tratar a quantidade de esgotos que a ela chegam.
E quem sofre com isso são os moradores do bairro adjacente à ETAR. O cheiro nauseabundo que se faz sentir quase todos os dias tem motivado queixas de grande parte da população que diz “estar a viver um calvário que já dura há mais de dez anos”. Já houve várias as trocas de e-mails com a empresa Águas do Ribatejo e até já enviaram para o Ministério do Ambiente um abaixo-assinado que reuniu mais de 200 assinaturas.
José Pinto Correia vive na urbanização do Sapal Entre Águas e é o representante de muitos queixosos. “Solicitava ao senhor administrador da Águas do Ribatejo, que não tem feito nada para evitar os cheiros nauseabundos que aqui se fazem sentir, que pelo menos desse a cara”. Também Julio Mota, habitante do mesmo bairro, solicita uma rápida intervenção. “Gostava de comer uma refeição sem cheiro a ETAR. Andam aqui a brincar connosco, só com reuniões e mentiras umas atrás das outras. Nem com a janela fechada se evita que o cheiro entre dentro de casa”, afirmou.
A obra, que promete ser a solução para todos os problemas, terá um custo total de cerca de 4,6 milhões de euros e é financiada em 850 mil euros por fundos comunitários e os restantes 3 792 000 euros pela Águas do Ribatejo.
Carlos Coutinho, presidente da Câmara de Benavente, realça o investimento por parte das Águas do Ribatejo numa obra “muito considerável e que foi feita a pensar nas pessoas”. O autarca revelou que o problema terá definitivamente um fim e garantiu que tudo será feito para evitar os maus cheiros durante o período transitório.
“Temos falado com a Águas do Ribatejo para que tenha as melhores práticas de modo a que a ETAR da Quinta dos Gatos possa funcionar tão bem quanto possível. Finalmente há uma solução que deixou de ser teórica para ser finalmente concretizada”, conclui Carlos Coutinho.
As obras na nova ETAR irão decorrer durante mais de um ano. O novo Sistema de Tratamento de Águas Residuais de Samora Correia terá capacidade para receber o efluente doméstico produzido por uma população de 18550 pessoas dos aglomerados populacionais de Arados, Porto Alto e parte de Samora Correia.

Urbanização do Porto Alto tem de aguentar mais um ano com o mau cheiro de ETAR

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...