uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Personalidades do Ano recebem homenagem pública em Torres Novas

Prémios instituídos por O MIRANTE distinguem os melhores da região desde 2005

Edição de 14.02.2018 | Sociedade

O MIRANTE distingue pelo 13º ano as instituições e personalidades da região que considera serem exemplos positivos nas mais diversas áreas de actividade. Depois de no dia 1 de Janeiro, como é habitual, termos divulgado a escolha do juiz Carlos Alexandre, natural de Mação, apresentamos esta semana mais três premiados.
A Sociedade Banda Republicana Marcial Nabantina, de Tomar, é Personalidade do Ano - Cultura Feminino. O Alhandra Sporting Club é Personalidade do Ano - Desporto Masculino e a Adega Cooperativa do Cartaxo é Personalidade do Ano - Associativismo.
Para além destes, os anteriormente divulgados são: União Desportiva e Recreativa da Zona Alta, de Torres Novas - Personalidade do Ano na área do Desporto - Feminino; Orquestra Típica Scalabitana - Personalidade do Ano - Cultura Masculino; Teresa Ferreira, administradora da Águas de Santarém, como Personalidade do ano Política - Feminino.
A Administração do Campo Pequeno foi eleita como Personalidade do Ano na área da Tauromaquia; Vasco Estrela, presidente da Câmara Municipal de Mação, é Personalidade do Ano na Área da Política - Masculino e Diamantino Duarte, administrador da Resitejo, recebe o prémio Personalidade do Ano na área Vida.

Cultura Feminino

Sociedade Banda Republicana Marcial Nabantina - Tomar

Fundada em Tomar a 12 de Setembro de 1874, no reinado de D. Luís I, que recebeu o cognome de “O Popular”, a actual Sociedade Banda Republicana Marcial Nabantina foi baptizada como Real Banda Marcial Nabantina.
Foi após a implementação da República, a 5 de Outubro de 1910, que a Banda deixou de ser Real para passar a Republicana e não foi necessário o 25 de Abril de 1974 para a Sociedade Banda Republicana Marcial Nabantina se implantar como uma casa de cultura e de oposição ao regime salazarista. Foi na sua sede que, nos anos sessenta e setenta o maestro tomarense Fernando Lopes-Graça começou a mostrar o seu talento e foi por lá que passaram também, como animadores de ciclos culturais, outros vultos da cultura nacional como Alves Redol ou Fernando Namora.
Graças à dedicação dos seus associados a Nabantina chegou aos dias de hoje rejuvenescida e revitalizada. Com uma direcção jovem, tem uma banda filarmónica de quarenta elementos onde predomina a juventude e uma escola de música onde o ensino sempre foi gratuito. Para resumir o seu percurso foi escolhida a frase: “Há coisas que com o tempo ganham Alma”.

Banda Republicana Marcial Nabantina

Desporto Masculino

Alhandra Sporting Club

Nos últimos anos o Alhandra Sporting Club tem alcançado bastante visibilidade nacional, em particular nas secções de náutica e triatlo, graças ao desempenho dos seus melhores atletas, mas o clube, fundado no dia primeiro de Dezembro de 1921, vale principalmente pelo trabalho feito ao longo da sua existência, na dinamização das mais diversas modalidades desportivas e na promoção do desporto em geral.
O futebol continua a ser uma das modalidades mais importantes ou não tivesse o clube nascido da reunião de associações com nomes como Alhandra Foot-Ball Operário, Alhandra Foot-Ball Club, Alhandra Foot-Ball Sousa Martins e outras mas o primeiro atleta a destacar-se a nível nacional e internacional foi o nadador de fundo Baptista Pereira com a sua vitória na travessia do Canal da Mancha em 1954.
Ao longo dos seus anos de existência o Alhandra movimentou milhares de praticantes em múltiplas modalidades desde a natação, o ciclismo, o atletismo, o andebol e várias outras. E o desporto foi o cimento que uniu a comunidade, reforçando sentimentos de liberdade e democracia.

Rui Macieira é o presidente da direcção do Alhandra Sporting Club

Associativismo

Adega Cooperativa do Cartaxo

O Cartaxo é a capital do vinho mas nem sempre o vinho do Cartaxo teve a boa imagem que tem hoje. Um dos maiores contributos para a alteração da forma como os consumidores olhavam para os vinhos do Cartaxo foi dado, de forma surpreendente, pela Adega Cooperativa do Cartaxo.
Numa altura em que as tradicionais adegas cooperativas eram abaladas pela concorrência dos produtores particulares, tendo algumas delas acabado por soçobrar, a Adega Cooperativa do Cartaxo conseguiu mobilizar os associados para a tarefa de melhorar as suas produções, investiu em novas tecnologias, encontrou as pessoas certas para o que havia a fazer, tanto a nível executivo como a nível criativo e com recurso a um marketing activo e moderno reinventou-se e colocou-se num patamar de excelência que é reconhecido a nível nacional e em alguns países para onde exporta.
O caminho não tem sido fácil mas nos mercados, nomeadamente no do vinho, nada é servido de bandeja e a Adega Cooperativa do Cartaxo tem mostrado capacidade de trabalho, persistência e uma vontade de vender através de mais e mais qualidade.
As marcas Bridão e Desalmado, só para dar dois exemplos, são dois dos expoentes da Adega e mostram a sua capacidade em responder às tendências e exigências de qualidade dos mercados. As dezenas de medalhas recebidas em concursos nacionais e internacionais orgulham os produtores e as gentes do Cartaxo e de toda a região.

Foto Vitor Neno Jorge Antunes é o presidente da direcção da Adega Cooperativa do Cartaxo

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido