uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Linhas de Torres a caminho da classificação de monumento nacional
Linhas de Torres, que abrangem o concelho de Vila Franca de Xira, vão passar a ser monumento nacional

Linhas de Torres a caminho da classificação de monumento nacional

Direcção Geral do Património Cultural deu parecer favorável à classificação das linhas como património nacional. Concelho de Vila Franca de Xira tem 35 das 152 fortificações erguidas para defender a nação dos exércitos de Napoleão.

Edição de 15.03.2018 | Cultura e Lazer

As Linhas de Torres, um conjunto de fortes e estradas militares construídos há mais de dois séculos para defender Lisboa das invasões francesas, estão à beira de ser classificadas como monumento nacional. Originalmente, das 152 fortificações erguidas, 35 estão situadas no concelho de Vila Franca de Xira. A Direcção Geral do Património Cultural (DGPC) já deu o seu parecer favorável à classificação das linhas mas apenas 114 estruturas foram classificadas. As restantes estavam destruídas ou em estado avançado de degradação não podendo ser recuperadas.
O parecer aprovado pela DGPC em reunião realizada a 21 de Fevereiro prevê também a criação de uma zona especial de protecção em volta de cada uma das estruturas. Para que as linhas sejam efectivamente consideradas monumento nacional o documento precisa de ser aprovado em Conselho de Ministros, o que ainda não aconteceu.
“Há muito que Vila Franca de Xira, juntamente com as restantes câmaras municipais, reclamava pelo reconhecimento deste património e sempre fomos um dos que lutou por este reconhecimento. Esta é uma notícia que nos deixa naturalmente contentes”, afirmou Manuela Ralha, vereadora com o pelouro da cultura na última reunião da câmara vilafranquense.
Há praticamente sete anos que a Associação para o Desenvolvimento Turístico e Patrimonial das Linhas de Torres lutava para a inclusão das linhas no património nacional. A associação inclui as câmaras de Vila Franca de Xira, Arruda dos Vinhos, Loures, Mafra, Sobral de Monte Agraço e Torres Vedras.
No concelho de Vila Franca de Xira há caminhos pedonais a ligar os vários fortes mas muitos estão cobertos de mato e alguns fortes praticamente destruídos e irreparáveis. Mas há também bons exemplos, como o centro interpretativo do Forte da Casa, construído em redor do Forte 38 – que dá nome à localidade – e que custou 186 mil euros.
Em Alhandra existe também o monumento a Hércules, que simboliza um dos pontos altos das linhas de Torres e onde se realizou há sete anos um desfile militar preparado para assinalar os 200 anos daquela estrutura militar. Nesse ano ficaram prontas obras de recuperação em vários fortes ao longo da linha, nos vários concelhos, representando investimentos globais a rondar os seis milhões de euros.

Linhas de Torres a caminho da classificação de monumento nacional

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...