Uma onda de optimismo na passagem de mais umas festas de S. José

As Festas de S. José - Santarém, que decorrem de 15 a 19 de Março, dia da cidade, foram o pretexto para falarmos com alguns leitores, não só sobre as festas mas também sobre tradições, perspectivas de futuro e a avaliação que fazem do desempenho dos políticos locais e nacionais. Todos os entrevistados confessaram que não perdem as festas...mesmo aqueles que acham que elas já foram melhores. Um outro ponto em comum é o optimismo em relação ao país, à região e aos negócios.

Teresa Rosário
Administrativa na Área Financeira Ribatubos - Santarém

A maior aposta tem sido na modernização

Costuma participar todos os anos nas Festas da Cidade de Santarém e é fiel às tradições.
Considera que as festas, além de animarem a cidade ajudam a economia local, nomeadamente o sector da restauração, uma vez que atraem muitos visitantes.
É optimista e, para além de esperar que os nossos governantes consigam governar pensando mais nas pessoas e nas suas necessidades, nomeadamente nas áreas da educação e saúde, acredita que Santarém, em particular, pode ter um futuro mais risonho, desde que haja mais investimentos que atraiam investidores capazes de criar mais postos de trabalho. O político de que mais gosta actualmente é o Presidente da República, devido ao seu humanismo.
Quanto à Ribatubos diz que as perspectivas são boas, graças ao esforço que tem vindo a ser feito. “Temos apostado na modernização e no desenvolvimento. Mesmo com estes anos de crise temos conseguido aumentar o nosso volume de vendas e esperamos que nos próximos anos consigamos consolidar o desenvolvimento.

Rui Dias
Gerente Comercial - Friferro - Comércio de Materiais de Construção - Santarém

Criar condições para ter artigos de qualidade a bom preço

Qual a sua opinião sobre as festas? As Festas de S. José em Santarém são importantes porque dinamizam a economia local e dão prestígio à cidade, para além de atraírem muitos visitantes. Pessoalmente gosto de participar e sou fiel às tradições locais.
Sugere alguma alteração? Pessoalmente gostaria de ver mais expositores regionais no recinto das festas.
Está contente com as mudanças políticas a nível local? Desde que os eleitos tenham em mente o bem estar da população, quer ao nível económico, quer ao nível da segurança quem ganha são as pessoas e o desenvolvimento da cidade.
Como vê o futuro do seu concelho? Acredito que o concelho reúne todas as capacidades para se desenvolver a todos os níveis, assim como para fazer face aos novos desafios que o futuro oferece.
E o futuro da sua empresa? Tentarei sempre acompanhar as evoluções do mercado para que o cliente possa adquirir bons artigos de qualidade e a um excelente preço.

Lisete Andrade
Administrativa na TVM - Tintas Vernizes e Máquinas - Perofilho - Santarém

Implementar uma aplicação para facilitar encomendas online

Como encara o futuro da sua empresa? A empresa está neste momento a atravessar um período bastante positivo. Queremos incrementar novas ferramentas ao nível do digital, mais concretamente na criação de uma aplicação dedicada aos nossos clientes de forma a facilitar os processos de encomendas. Existe também uma grande vontade de continuar a conquistar o mercado regional, nacional e até internacional e lutamos diariamente para manter a nossa reputação, qualidade e prestígio na execução dos nossos serviços.
E o futuro do concelho? O nosso concelho tem sido alvo de inúmeros investimentos ao nível do turismo, em especial das infra-estruturas como os alojamentos locais, por exemplo os “hostels”. Assim sendo e no meu ponto de vista particular, tais investimentos contribuem de forma bastante positiva e sustentável para o crescimento económico da nossa região que é o Ribatejo.
Participa nas Festas da Cidade? Costumo ir todos os anos às festas acompanhada pela família e amigos. Outrora, chegava a participar nas festas de forma activa através da minha participação no grupo Desportivo e Recreativo de Perofilho.
É fiel às tradições? Posso dizer que sou uma pessoa bastante fiel às tradições. Participo de forma activa na Feira Nacional da Agricultura há mais de uma década através da minha colaboração no grupo Desportivo e Recreativo de Perofilho. Por norma costumo ir a todas as tradições e eventos que se celebram na nossa emblemática cidade de Santarém.
Que importância tem esta festa para a região? As festas de S. José, assim como a Feira Nacional da Agricultura são na minha mais sincera opinião, dois grandes eventos que elevam o prestígio da nossa cidade e acredito que contribuem de forma significativa para o nosso comércio, em especial, o tradicional. O que faz com que haja uma maior ligação dos visitantes aos nossos costumes e tradições.
O que gostava de ver diferente nas Festas da Cidade? Mais empresas presentes no recinto da festa, de forma a conseguir oferecer um ambiente mais atractivo. Para mim, o cartaz e o programa das festas está bem concebido e estruturado o que de certeza irá atrair muitos visitantes.
Que recado gostava de dar pessoalmente ao Primeiro Ministro? Gostava que houvesse uma maior sensibilidade e flexibilidade para com as empresas ao nível económico e das burocracias exigidas.
E ao Presidente da República? Acho que o Presidente da República deveria descansar durante mais tempo. Oito horas para aquela cabeça é pouco.

João Martinho Cláudio
Médico veterinário
Clínica Veterinária São Francisco de Assis

“Participo nas festas mas não sou nada fiel às tradições”

Tem o hábito de participar nas Festas da Cidade? Participo nas festas da cidade apenas como consumidor, este ano provavelmente até nem irei, mas é apenas mais um momento para de rever amigos.
É fiel às tradições? Não sou nada fiel às tradições e participo nas festas da cidade, como já disse, apenas para rever amigos.
Que importância tem esta festa para a região? Como consumidor acho que de ano para ano não tem existido inovação. Parece que tem pouca expressão para a divulgação da cidade de Santarém a Portugal. É mais uma festa/evento que não se diferencia daquelas que já existem na região.
O que gostava de ver diferente nas Festas da Cidade? Quem pode realizar essa avaliação com mais precisão são os empresários que estão directamente e/ou indirectamente relacionados com o evento. Como scalabitano gostava que fossem um evento dinâmico e que conseguisse trazer todos os scalabitanos que estão por essas cidades de Portugal a quererem regressar à terra, coisa que não acontece. Por vezes até as próprias pessoas da cidade já não participam.
Em que medida a festa contribui para a economia local e o desenvolvimento da cidade? Não sei, nunca tentei e tive interesse de saber o que envolve a festa a nível económico.
Está contente com as mudanças políticas a nível local? E nacional? Que alterações notou na região? Não acho que estejamos a ser bem representados a nível local.
Como vê o futuro do seu concelho? Primeiro é preciso trabalhar em prol da cidade e não a cidade trabalhar a nosso favor. Volto a insistir sempre na mesma coisa. É preciso que outra geração entre na política e que “não vá atrás do rebanho”.
E o futuro da sua empresa? Trabalhamos com afinco e paixão todos dias. Só pode correr bem. Até agora temos crescido no mercado e estamos contentes com o trabalho desenvolvido pela nossa equipa.
Que recado gostava de dar pessoalmente ao Primeiro Ministro? Não tenho recado, não o conheço. Acho que tem feito um bom trabalho por Portugal mas não tem muita margem de manobra.
E ao Presidente da República? Óptimo trabalho! Boa gestão dos egos gigantes que por esse mundo político existem.

Lúcio Almeida
Responsável pela Equitejo e CNX - Equipamentos multifuncionais de gestão documental, office e produção profissional Norte e centro do País - Santarém

“Senhor Presidente da República, venha às nossas festas!”

Lúcio Almeida vive no Vale de Santarém e considera-se um filho adoptivo de Santarém uma vez que tem uma ligação de vinte anos à cidade. Fiel às tradições, costuma participar nas festas de S. José que considera serem fundamentais para manter as características da região. E se as festas são uma manifestação de bairrismo e união ele defende que ainda podiam fomentar mais essas características. “As raízes ou tradições fazem parte da cultura e atraem pessoas consoante o impacto que elas têm no País”, sublinha.
Diz-se desligado da política mas acredita que a situação do país tem vindo a melhorar. Se tivesse oportunidade de falar com o Primeiro-Ministro pedia-lhe que olhasse para a região de Santarém como o centro de desenvolvimento estratégico do país, devido à localização geográfica, rodoviária e ferroviária.
Quanto ao futuro da sua empresa diz-se optimista. “Graças a Deus temos tomado as decisões certas o que nos leva a estar muito bem posicionados e melhor preparados”, refere.
Para finalizar deixa um convite ao Presidente da República: “Venha às festas da sossa cidade!”.

Nuno Graça
Proprietário da Loja das Tradições
Santarém

Um estabelecimento que se destaca pela distinção e bom gosto

Como vê o futuro do concelho de Santarém? O nosso concelho reúne todas as capacidades para se desenvolver, sobretudo ao nível do turismo. A nossa cultura aliada ao grande espólio de monumentos que oferece, mais o incremento do alojamento local são combinações perfeitas para o desenvolvimento da região.
E o futuro da sua empresa? Vejo a linha do horizonte da minha empresa com bastante optimismo. É uma empresa que se destaca pela sua diferenciação, distinção, qualidade e rigor na oferta de produtos de elevada qualidade, premiados e “premium” que apresenta ao público. Ressalvando que estamos situados numa localização bastante privilegiada.
O que o levou a criar a empresa? Gostava que me tivesse questionado sobre o que me levou a criar o conceito da minha empresa/marca. Não existia nada do género da nossa cidade. Senti que faltava algo na nossa cidade, e tentei ligar as nossas tradições e costumes na oferta de produtos típicos da nossa região.
Tem o hábito de participar nas Festas da Cidade? Sim, tenho esse hábito. Já participei nas festas através de uma associação desportiva. Mas agora só lá vou passear com a família e os amigos.
É fiel às tradições? Tudo o que seja eventos, sobretudo ligados à tradição da nossa bela e carismática cidade, participo sempre. Acredito que possa dizer que sou bastante fiel às nossas tradições.
Que importância tem esta festa para a região? Tenho uma enorme crença que as festas da nossa cidade são mais um dos pontos fortes que liga os visitantes aos nossos costumes tradicionais, mesmo que seja por um curto período de tempo.
O que gostava de ver diferente nas Festas da Cidade? Actualmente estou satisfeito com as nossas festas, o cartaz apresenta um óptimo programa que irá certamente atrair muitos visitantes.
Em que medida esta festa contribui para a economia local e o desenvolvimento da cidade? Ao nível do centro histórico da nossa cidade nota-se mais pessoas a circular pelas ruas, existe um interesse de curiosidade em percorrer as nossas ruas. O que se reflecte esporadicamente no aumento do consumo de bens e serviços.
Que recado gostava de dar pessoalmente ao Primeiro Ministro? Acredito que o nosso Primeiro Ministro não necessita de tantos funcionários ao seu lado.
E ao Presidente da República? Espero que, enquanto a lei o permitir, seja sempre candidato à Presidência da República.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo