uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Canto Firme de Tomar canta Via Crucis na Quarta-Feira Santa
Coro quer apresentar obra com dignidade e seriedade

Canto Firme de Tomar canta Via Crucis na Quarta-Feira Santa

Apresentação será na Igreja de S. João Baptista a partir das nove e meia da noite

Edição de 21.03.2018 | Economia

O Coro Misto Canto Firme apresenta a obra “Via Crucis” de Lizst, com Solista, Órgão, Coro e Narrador, no próximo dia 28 de Março, Quarta-Feira Santa, pelas 21h30, na Igreja de São João Baptista, em Tomar.
Liszt Ferenc, de origem húngara, que foi um dos maiores músicos do séc. XIX, como pianista virtuoso, grande pedagogo e compositor de uma importante e vasta obra, foi atraído pela religião desde a infância acabando por, na última fase do seu período de maturidade, se transformar num místico profundo e num católico de grande espírito religioso.
O músico teorizou e publicou a sua reflexão sobre o “futuro da música da Igreja” numa visão ecuménico-musical afirmando que a nova música da igreja pode ser designada como “humanitária”, conjugando numa escala colossal o Teatro e a Igreja, numa música ao mesmo tempo dramática e sacra, esplêndida e simples, cerimonial e séria, ardente e livre, tempestuosa e calma, translúcida e emotiva. Apesar de ter sido casado, pai de uma filha, Liszt recebeu as quatro ordens menores do sacerdócio com mais de cinquenta anos.
É neste contexto que se deve ouvir e analisar a Via Crucis, uma obra vasta para solistas, coro, órgão e narrador (optativo), escrita em 1878/9, estruturada em 14 secções, representativas das Estações da Via-Sacra, obra que não chegou a ter audição pública em vida do compositor.
No seu repertório o Coro Canto-Firme já incluiu vários motetos de Liszt e até uma apresentação deste Via Crucis. A revisitação desta partitura, em 2018, traz por isso uma responsabilidade acrescida. Trata-se de conseguir ultrapassar as naturais limitações de um coro amador para poder apresentar com dignidade e seriedade artística a obra emblemática do grande compositor húngaro.
Para a concretização desta apresentação, o Coro Canto-Firme teve vários apoios que destaca numa nota de imprensa. “Queremos agradecer a confiança que a Paróquia de Tomar, na pessoa do seu pároco, o padre Mário, depositou neste projecto, autorizando a sua apresentação na própria ‘Semana Santa’ do calendário litúrgico. Agradecemos também à professora e organista Alexandra Sousa e ao encenador João Mota que ao Coro Canto Firme se juntaram para a realização desta Via-Crucis de Listz na Quaresma de 2018”.

Canto Firme de Tomar canta Via Crucis na Quarta-Feira Santa

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...