uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Fábrica da Generis em Rio Maior não paga impostos municipais durante cinco anos
O executivo camarário foi unânime no aplauso à fixação da fábrica da Generis no concelho

Fábrica da Generis em Rio Maior não paga impostos municipais durante cinco anos

Câmara de Rio Maior aprovou benefícios fiscais a conceder à farmacêutica que vai instalar uma fábrica no Parque de Negócios da cidade.

Edição de 29.03.2018 | Economia

O executivo da Câmara de Rio Maior aprovou, por unanimidade, a minuta do contrato com vista à concessão de benefícios fiscais municipais à Generis Farmacêutica, SA, no âmbito da instalação de uma unidade industrial dessa sociedade no Parque de Negócios da cidade.
A empresa vai ficar isenta durante cinco anos de IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) e de IMT (Imposto Municipal sobre a Transmissão Onerosa de Imóveis) sobre os lotes adquiridos, sendo esse benefício renovável por mais cinco anos, segundo as regras definidas pela Assembleia Municipal de Rio Maior na sua sessão de 27 de Dezembro de 2017.
O município considera de “relevante interesse municipal” a construção e laboração da unidade industrial de embalamento de medicamentos a implementar pela Generis. Segundo o contrato agora aprovado, o mínimo de investimento previsto é de 15 milhões de euros e o número mínimo de novos postos de trabalho de trabalho é de 100. O prazo para a implementação do projecto é de três anos e a empresa compromete-se ainda a manter a localização da fábrica em Rio Maior durante um período mínimo de dez anos a contar da data da realização integral do investimento.
“A empresa prevê que as primeiras embalagens comecem a sair em Junho de 2019”, disse na reunião de câmara de sexta-feira, 23 de Março, a presidente do município Isaura Morais (PSD). Durante a discussão do ponto, a vereação foi unânime na satisfação pela captação desse investimento. Mas o vereador Daniel Pinto (PS) manifestou alguma preocupação relativamente ao cumprimento das obrigações por cada uma das partes, recordando que a zona onde vai ser implantada a fábrica devia ter sido desmatada até final de Fevereiro, prazo que não foi cumprido.
Na resposta, Isaura Morais recordou que o terreno não é propriedade do município mas sim da DEPOMOR, empresa que gere o Parque de Negócios de Rio Maior. O vereador João Candoso (PSD), acrescentou que o corte dos eucaliptos está praticamente concluído e que essa situação foi articulada com a Generis.

Escola Profissional cria curso sugerido pela empresa

A Escola Profissional de Rio Maior vai abrir no próximo ano lectivo um curso de análises laboratoriais. Uma medida tomada tendo em conta a instalação na cidade da fábrica da farmacêutica Generis. “A Generis sugeriu à escola que tivesse um curso de análises laboratoriais, sugestão que foi aceite”, revelou o vereador João Candoso, dizendo que vai ser montado um laboratório para dar apoio a essa área de formação. “É assim que queremos trabalhar, respondendo no imediato”, enfatizou o autarca.
A presidente Isaura Morais referiu que a Generis já recebe habitualmente alunos da Escola Profissional de Rio Maior e sublinhou a necessidade de formar profissionais nessa área, ainda para mais num concelho onde o desemprego é quase inexistente, andando nos 3,8%. “Precisamos de gente para trabalhar. As nossas empresas já recebem muita gente de concelhos vizinhos como Santarém, Cartaxo e Azambuja”, disse.

Fábrica da Generis em Rio Maior não paga impostos municipais durante cinco anos

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido