uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Depois do flagelo das chamas veio a alegria de ter uma casa nova
FOTO – C. M. Abrantes

Depois do flagelo das chamas veio a alegria de ter uma casa nova

Caritas Diocesana reconstruiu habitação de idosa que tinha ficado bastante danificada pelos incêndios de Agosto em Aldeia do Mato, Abrantes.

Edição de 12.04.2018 | Sociedade

A Cáritas Diocesana de Portalegre e Castelo Branco entregou no dia 5 de Abril a chave da habitação reconstruída de Maria do Céu Santos, de 76 anos, que tinha ardido durante o incêndio de Agosto de 2017, em Aldeia do Mato, concelho de Abrantes. Um acto solidário que deixou a idosa muito feliz.
Elicídio Bilé, presidente da Cáritas Diocesana de Portalegre e Castelo Branco, a presidente da Câmara de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque, e Álvaro Paulino, presidente da União de Freguesias de Aldeia do Mato e Souto, marcaram presença na cerimónia de entrega da chave da casa a Maria Santos, que fica agora com muito melhores condições de habitabilidade, visto que a casa antes de arder no dia 10 de Agosto de 2017 não tinha água canalizada nem casa-de-banho. As chamas consumiram essencialmente a cobertura da casa, e a idosa, que vivia sozinha, foi acolhida por vizinhos.
Das 16 casas que a Cáritas Diocesana assumiu o compromisso de recuperar já só faltam duas. Uma é em Aldeia do Mato, de uma família de cinco pessoas que está a viver num alojamento da paróquia local, cujas obras devem estar prontas no próximo mês de Maio. Há ainda outra casa a ser recuperada em Vila de Rei e 33 currais na zona de Oleiros com data de entrega prevista para Junho.
Durante a cerimónia de entrega das chaves da casa, a presidente da câmara, Maria do Céu Albuquerque, disse estar “satisfeita por perceber que há instituições como a Cáritas que faz um trabalho inestimável”, afirmando que esta e outras intervenções “dissipam qualquer questão” sobre o destino do dinheiro angariado em campanhas de solidariedade. “Os benefícios estão à vista de todos porque a Cáritas diz sempre presente” no que toca às necessidades da população, referiu a autarca, sublinhando “o serviço público” prestado.
A casa de Maria do Céu Santos ainda precisa de pequenos acabamentos, como a ligação da electricidade e água canalizada que não tinha por usar um sistema de rega com água do rio Zêzere, serviço prestado por uma associação de regantes. A reconstrução custou 21.780 euros que foram pagos na totalidade pela Cáritas, tendo o projecto de arquitectura e o acompanhamento técnico sido feito pelos serviços da Câmara de Abrantes.
A intervenção contemplou trabalhos de limpeza e demolições, substituição integral da cobertura e pavimentos, execução de rede de águas, rede de esgotos com fossa estanque séptica, rede de gás e electricidade, construção de casa de banho e cozinha com os respectivos equipamentos e reparação e beneficiação de paredes e vãos. Do recheio da casa “salvou-se praticamente tudo”, garantiu Elicídio Bilé.
A outra habitação, destruída pelo mesmo incêndio está ainda a ser recuperada, com o apoio da Cáritas, da Câmara de Abrantes e da União de Freguesias de Aldeia do Mato e Souto, e deverá ser entregue à família de cinco pessoas no próximo mês de Maio.

Depois do flagelo das chamas veio a alegria de ter uma casa nova

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...