uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Lançado concurso para requalificação do centro histórico de Rio Maior
A Praça do Comércio, onde foi instalada a Loja do Cidadão, é uma das zonas a requalificar

Lançado concurso para requalificação do centro histórico de Rio Maior

Empreitada tem um preço base de 382 mil euros e um prazo de execução de 120 dias

Edição de 19.04.2018 | Economia

O executivo da Câmara Municipal de Rio Maior aprovou na sua última reunião o lançamento do concurso público para a requalificação da Praça do Comércio e zona envolvente, no centro histórico da cidade. O preço base do concurso é de 382 mil euros mais IVA. O prazo de execução previsto para a empreitada é de 120 dias.
A empreitada vai avançar no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) e terá financiamento de 85 por cento por parte da União Europeia. O objectivo do município é dinamizar a Praça do Comércio, Praça da República, Rua Serpa Pinto e Largo Ayres de Sá, melhorando as acessibilidades e circulação pedonais nessas áreas. Vai também ser colocado novo mobiliário urbano e infraestruturas de apoio que potenciem a visitação e permanência nesses locais.
Na votação desse ponto, os vereadores do PS abstiveram-se, tendo sido o mesmo aprovado pela maioria PSD/CDS. O vereador socialista Nuno Pimenta considerou que a câmara podia ter outras prioridades de investimento, referindo como exemplo que o piso do pavilhão da Casa do Povo está em más condições para a prática desportiva, o que já motivou reparos.
Nuno Pimenta referiu ainda que a Praça da República tem sido alvo de intervenções “quase todos os mandatos”, no que foi desmentido pela presidente da câmara Isaura Morais, que recordou que a última intervenção de fundo nessa zona foi em 1985 ou 1986. De resto, disse a autarca, houve algumas melhorias pontuais mas sem mudanças no figurino do espaço.
Tanto Isaura Morais como o vereador João Candoso referiram ainda que os fundos comunitários do actual quadro comunitário de apoio não contemplam obras em recintos desportivos, pelo que há que aproveitar as verbas para os fins a que estão destinadas. “Ou os aproveitamos para essas finalidades ou não”, sublinhou João Candoso.
Quanto ao pavilhão da Casa do Povo, João Candoso disse que a melhoria do piso do recinto desportivo está nos planos da autarquia.

Lançado concurso para requalificação do centro histórico de Rio Maior

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...