uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Benavente não é um dormitório e ainda há espírito de vizinhança
Pedro Santos é uma pessoa metódica e exigente

Benavente não é um dormitório e ainda há espírito de vizinhança

As suas duas profissões de sonho eram piloto de aviões e jornalista. Uma concretizou-a e a outra morreu no secundário. Pedro Santos é hoje um dos rostos da comunicação da Câmara Municipal de Benavente e gosta do que faz.

Edição de 19.04.2018 | Identidade Profissional

Pedro Lagareiro Santos tem 38 anos e reside e trabalha em Benavente, terra que diz não ser um dormitório, onde praticamente toda a gente se conhece e ainda há quem vá à farmácia sem desligar o carro.
“Tive uma infância divertida e sem problemas numa terra que é boa para viver e tem qualidade de vida. Cresci numa altura em que as casas ainda tinham a chave na porta. Mas ainda hoje há muito o espírito de vizinhança. Gosto que Benavente mantenha este crescimento demográfico aliado ao desenvolvimento económico, o que faz com que não sejamos apenas um dormitório”, defende. Pedro confessa-se uma pessoa metódica, rigorosa e muito exigente consigo próprio. São esses os seus valores profissionais: sem rigor, método e exigência não se consegue obter bons resultados. “Quando erro, e isso às vezes também acontece porque ninguém é infalível, fico chateado comigo próprio”, confessa.
Ao longo da vida exerceu duas profissões e admite que actualmente gosta do que faz e sente-se preenchido ao fazê-lo. “Quando estou à secretária estou a trabalhar para todas as pessoas de Benavente, onde eu, a minha família e os meus amigos se incluem. E isso é muito gratificante, é uma motivação muito grande poder trabalhar para todos e para o bem da minha terra”, refere.
Pedro Santos está hoje ligado ao departamento de comunicação da câmara e faz tudo o que é comunicação de eventos do município. “Sempre quis ser piloto de aviões ou jornalista. Fui tentar ser piloto de aviões mas a fisico-química matou-me no secundário. Tive de desistir do agrupamento de ciências e seguir para o agrupamento de línguas e acabei a tirar uma licenciatura de ciências da comunicação com variante de jornalismo”, conta.
O seu primeiro emprego foi na rádio TSF, na equipa de desporto, a fazer relatos e reportagens de pista. “Ainda estive lá dois anos e meio e foi assim que dei os meus primeiros passos. Mas estava a recibos verdes e ganhava pouco. Na altura a Câmara de Benavente estava a renovar os seus quadros, a abrir o cine-teatro e a câmara precisava de outra dinâmica de comunicação. Foi nessa altura que falei com o António Ganhão [anterior presidente do município] e entreguei-lhe um currículo”, conta.
Acabou por fazer estágio e depois ficou. Não se arrepende da decisão que tomou. Dos 150 colegas que acabaram o curso só quatro ficaram a trabalhar em jornalismo. Actualmente foi eleito também para vice-presidente da Junta de Freguesia de Benavente. “O trabalho às vezes tira-me o sono, tanto na câmara como na junta. Tento desligar mas não é fácil”, confessa a O MIRANTE. Pedro é um dos “pais” do festival Benasvilla, que se realiza naquela vila e traz nomes importantes da música ao Ribatejo.
Uma das suas paixões, além da família, é a saga cinematográfica Star Wars [Guerra das Estrelas], da qual colecciona bastantes artigos. Mas à sexta-feira não abdica de ir buscar o avô, de 88 anos, para dois dedos de conversa. “Quero dar-lhe essa dignidade até um dia ele me faltar. Foi ele que me ensinou a pescar e a andar de bicicleta”, confessa.

Benavente não é um dormitório e ainda há espírito de vizinhança

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...