uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Câmaras do Cartaxo e de Salvaterra intervêm na ponte D. Amélia

Municípios estão a reparar os aparelhos de apoio do tabuleiro

Edição de 19.04.2018 | Sociedade

As Câmaras do Cartaxo e de Salvaterra de Magos começaram a intervir na ponte Rainha Dona Amélia, que liga Muge a Porto de Muge na segunda-feira, 16 de Abril, para reparação dos aparelhos de apoio do tabuleiro. Em comunicado conjunto, os dois municípios afirmam que a empreitada, na ordem dos 25 mil euros, vai ocorrer no período nocturno, de forma a “minimizar os prejuízos aos utentes da ponte, ficando a circulação interdita entre as 21h00 e as 7h00 nos dias 18, 19 e 20 (até às 7h00 de dia 21). Recorde-se que o trânsito nessa travessia sobre o Tejo está limitado a veículos ligeiros (até 3,5 toneladas) e a uma velocidade máxima de 30 quilómetros/hora”, afirma a nota.
O presidente da Câmara do Cartaxo, Pedro Magalhães Ribeiro (PS), e o presidente da Câmara de Salvaterra de Magos, Hélder Esménio (PS), decidiram, em Fevereiro deste ano, limitar a circulação na ponte a veículos até 3,5 toneladas e à velocidade de 30 quilómetros por hora. Além disso, as autarquias vão avançar com o processo de concurso para a reparação dos equipamentos de apoio do tabuleiro da ponte, que têm sido “significativamente”, danificados pelo excesso de cargas na ponte.
“Deverá ser promovida a reparação urgente dos aparelhos de apoio situados sobre o pilar 13 e sobre o Encontro do lado de Salvaterra de Magos, ambos do lado jusante, atendendo às deficientes condições de segurança estrutural e da circulação rodoviária. Até à reparação dos aparelhos de apoio, esta Obra de Arte deverá ser mantida sob vigilância apertada, devendo ser garantida, pelo menos, uma observação semanal do posicionamento dos aparelhos de apoio no pilar 13 e no Encontro do lado de Salvaterra de Magos”, referiu a empresa pública Infraestruturas de Portugal (IP) às câmaras municipais em Fevereiro.
A decisão da IP surgiu após uma reunião, no início de Janeiro, com o presidente do município de Salvaterra de Magos, onde este abordou as preocupações de ambos os autarcas, tendo encaminhado todos os relatórios a que os municípios tiveram acesso sobre o comportamento no tempo dessa infraestrutura.
Os autarcas do Cartaxo e de Salvaterra de Magos têm criticado a utilização abusiva que tem sido feita do tabuleiro da Ponte da Rainha D. Amélia por veículos que ultrapassam largamente as restrições impostas pela então Junta Autónoma de Estradas (actual Infraestruturas de Portugal), constatando ainda a dificuldade de fiscalização por parte das autoridades policiais, “devido à escassez de efectivos para o efeito”.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...