uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Uma nova vida depois da reforma
Artur Ferreira e Maria Luisa Ferreira viram no artesanato uma forma de manterem-se activos depois da reforma

Uma nova vida depois da reforma

Maria Luísa e Artur Ferreira dedicaram-se ao artesanato e a outras actividades depois de se terem aposentado. É uma forma de se manterem activos e de complementarem os rendimentos. O MIRANTE encontrou-os na Festa da Flor de Vila Franca de Xira, onde se juntaram a muitos outros seniores do concelho.

Edição de 03.05.2018 | Sociedade

Maria Luísa Ferreira e Artur Ferreira viram no artesanato uma forma de manter a cabeça activa durante a reforma. Maria Luísa dedica-se às artes decorativas e a “tudo o que envolva as mãos”. Tem uma pequena loja no mercado de Alverca, onde aproveita para vender as pequenas coisas que faz e assim juntar algum dinheiro extra à reforma que recebe. “Isto cada vez dá menos que as lojas do chinês que vieram dar cabo disto e já ninguém dá valor a estas artes”, desabafou a O MIRANTE durante a Festa da Flor de Vila Franca de Xira, uma iniciativa que junta as associações de reformados e idosos das várias freguesias do concelho.
Actualmente, Maria Luísa também se dedicou a dar aulas aos “companheiros de idade” na Póvoa de Santa Iria, Alverca, Vila Franca de Xira e Povos, para assim também “trazer uma experiência diferente a quem teve uma vida muito complicada”.
Já Artur Ferreira “também se safa na pintura”, reconhece a mulher, mas prefere dedicar-se à escrita de poesia, versando sobre o concelho de Vila Franca de Xira e a cidade de Alverca, onde o casal reside. O gosto pelas letras começou de tenra idade, quando na brincadeira ia fazendo umas quadras para os amigos mais chegados. Foi já mais tarde, enquanto trabalhava no Jumbo de Alverca, que se começou a dedicar mais à poesia, aproveitando os tempos livres. “Enquanto esperava pelos elevadores de carga, aproveitava para ir rabiscando alguma coisa. Os meus colegas brincavam comigo e diziam que era poesia de elevador”, comenta.
A conversa foi interrompida pela mega-aula de Zumba do professor Joseph Azevedo que decorreu no Pavilhão Municipal de Vila Franca de Xira e antecedeu a apresentação oficial dos marchantes ao presidente da câmara, Alberto Mesquita.
Terminado o desfile e todas as acções protocolares a Festa da Flor continuou com um almoço convívio, confeccionado por cada associação e onde não faltaram os pratos típicos portugueses como a feijoada e a carne de porco à portuguesa. O dia terminou com um baile popular, com música ao vivo e muita animação.

Uma nova vida depois da reforma

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...