uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Só políticos e convidados na abertura da Semana da Ascensão na Chamusca
Vereadores e presidentes de junta do concelho da Chamusca no dia da abertura da festa da Ascensão

Só políticos e convidados na abertura da Semana da Ascensão na Chamusca

Festa termina no domingo, treze de Maio com a actuação da cantora Ana Laíns. O dia maior dia da festa é quinta-feira, dia de entrada de toiros que precorrem a rua principal da vila, e tourada a meio da tarde na Praça de Toiros da Chamusca

Edição de 10.05.2018 | Sociedade

A tradicional “voltinha” pelos espaços de exposição, que marca a abertura da Semana da Ascensão, na Chamusca, decorreu na tarde de sábado, 5 de Maio, mas apenas participaram na mesma, os políticos do concelho, nomeadamente o presidente da câmara, Paulo Queimado, e as entidades oficiais.
A festa, uma das mais típicas da região, decorre até 13 de Maio, tendo como um dos momentos emblemáticos a recriação da entrada de toiros pela Rua Direita de S. Pedro, (troço da Estada Nacional 118 dentro da vila), na manhã desta quinta-feira. Na altura em que os animais, geralmente dois ou três toiros e vários cabrestos, escoltados por campinos, fazem o percurso entre a Estrada do Campo e a Praça de Toiros, o trânsito é cortado.
Em termos de animação musical, no dia 10, actua a Banda da Sociedade Filarmónica de Instrução e Recreio Carregueirense Vitória, fundada em 1930.
Luísa Sobral e Carolina Deslandes sobem ao palco nos dias 11 e 12, respectivamente e a cantora Ana Laíns encerra a festa com um espectáculo marcado para domingo, 13 de Maio.

Apanhados...em Ascensão

A Semana da Ascensão da Chamusca é imperdível e os melhores nacos dos festejos nem sequer são os concertos, a entrada de toiros de quinta-feira, as touradas ou as bebedeiras de caixão à cova. Logo na largada para a voltinha da inauguração foi um arraial de alto lá com ele, com o presidente da câmara, Paulo Queimado, a...fazer as honras da casa.

Tecnologia, chouriços e tradição

O presidente da Câmara da Chamusca fartou-se de deitar fumo durante a voltinha pelos expositores porque não largou o seu cigarro electrónico. A atitude do autarca merece aplausos por ter conseguido pôr em prática a sua aposta política no desenvolvimento tecnológico ao mesmo tempo que revivia a tradição de colocar os chouriços a secar...no fumeiro.

Faltava...a papoila

A comitiva que participou na abertura oficial da Ascensão fez vários compassos de espera antes de arrancar. Um deles, plenamente justificado, foi feito a pedido do presidente da câmara quando este descobriu que ainda não estava presente a sua inseparável e imprescindível vice-presidente, Cláudia Moreira, que o acompanhou em todos, mas mesmo em todos, os actos oficiais, reuniões e celebrações, desde que ele ocupa o cargo. Finalmente a senhora chegou e os presentes puderam confirmar que a espera foi justificadíssima. Afinal era ela que transportava a papoila!!!

Uma inclinação... para a autoridade

Quando o presidente Queimado viu os fotógrafos a aproximarem-se para os retratos da praxe e reparou que estava com um copo de espumante na mão escondeu imediatamente o adereço da melhor forma possível, metendo a mão atrás da comandante do Posto da GNR da Chamusca, Sargento Boura Pereira, que se manteve imperturbável, apesar de, provavelmente, não ter percebido lá muito bem porque é que o autarca se estava a chegar tanto a ela.

A meia haste

Na hora de hastear as bandeiras das freguesias do concelho da Chamusca e do município, durante a abertura da Ascensão, a bandeira da União de Freguesias da Parreira e Chouto não só não chegou ao topo do poste como nem passou de meio. O jovem presidente da junta, Bruno Oliveira, pode ter ficado aborrecido mas para quem leva a cabo um Festival Anual do Cogumelo como o da Parreira e uma Feira como a do Chocalho e de S. Pedro, no Chouto, aquilo é uma ninharia. Agora, o mínimo que a organização pode fazer é acrescentar mais metro e meio ao poste onde vai esvoaçar a bandeira da junta... até ao fim da festa.

Se Maomé não vai à montanha...

Lamentavelmente o povo não quis nada com a abertura da festa da Ascensão e perdeu uns inolvidáveis momentos políticos. Felizmente não perdeu tudo porque, pelo menos o discurso presidencial, foi transmitido através do sistema sonoro instalado em vários locais da terra, dando oportunidade a todos de ficarem ao corrente...das últimas maravilhas realizadas.

Só políticos e convidados na abertura da Semana da Ascensão na Chamusca

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...