uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Projecto para beneficiar acessos à Zona Industrial de Riachos em concurso

Edição de 31.05.2018 | Economia

A empresa pública Infraestruturas de Portugal já lançou o concurso público para a elaboração do projecto de beneficiação das acessibilidades à zona industrial e logística de Riachos, concelho de Torres Novas.
Segundo anuncia a empresa em comunicado, as intervenções vão incidir num troço de cerca de 7,6 Km da ER243. A empreitada prevê, entre outros trabalhos, a construção de um novo pontão sobre a Ribeira do Serradinho, a criação de duas novas rotundas e a construção e reabilitação de percursos pedonais e cicláveis.
Esta intervenção integra o Programa de Valorização das Áreas Empresariais apresentado pelo Governo no Entroncamento em Fevereiro de 2017. São investimentos há muito esperados por municípios e empresas. Na altura foi dito que a construção de novas acessibilidades à Zona Industrial de Riachos, entre os concelhos de Torres Novas, Golegã e Entroncamento, contempla um investimento de 8,35 milhões de euros a concretizar até 2020.

Rio Maior também está na lista
Outro projecto contemplado nesse Programa de Valorização das Áreas Empresariais é a requalificação do troço da EN 114 que serve a Zona Industrial e Parque de Negócios de Rio Maior, que seria para concretizar até 2019 segundo a estimativa da altura.
No caso de Rio Maior, a intervenção de fundo no troço da EN 114 que serve a Zona Industrial de Rio Maior e liga a cidade ao nó da A15 vai custar mais de 3 milhões de euros, tendo em conta a estimativa prevista. As obras têm um custo previsto de 2,920 milhões de euros mas há ainda a acrescentar os valores a despender para a aquisição de terrenos.
A empresa pública Infraestruturas de Portugal financia a maior parte do custo das obras, prevendo-se que caiba ao município um montante de 1.055.000 euros, a que se somarão também as verbas para aquisições dos terrenos necessários à implementação da obra. No entanto, é de referir que o projecto conta com comparticipação da União Europeia e que uma das rotundas, no valor de cerca de 300 mil euros, vai ser suportada pela empresa Sibelco, pelo que esse valor não entrará nas contas da Câmara de Rio Maior.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...