uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Moradores dos bairros Sópovo ainda podem comprar terrenos a 18 euros/m2

Edição de 07.06.2018 | Sociedade

Os proprietários de casas nos bairros da cooperativa habitacional Sópovo, em Meia Via, Riachos e Torres Novas, têm mais seis meses para comprar o terreno onde foram construídas as suas residências pelo valor de 18 euros o metro quadrado (m2) - em vigor há vários anos -, tendo assim oportunidade de ficar com propriedade plena da sua habitação.
Na última reunião do executivo da Câmara de Torres Novas, a vereação decidiu dar mais seis meses aos interessados para adquirirem ao município a propriedade dos terrenos antes de os serviços avançarem com a revisão dos preços. A proposta dos serviços propunha aumentos, de acordo com a localização, de 18 euros por m2 para valores que iam de 19 a 78 euros por m2.
O vice-presidente da Câmara de Torres Novas, Luís Silva (PS), confirmou a O MIRANTE a decisão de manter o preço dos terrenos por mais seis meses, referindo que depois haverá uma actualização de preços, de acordo com indicação dos serviços.
O autarca explicou que vários habitantes dos Bairros Sópovo já compraram à câmara a propriedade do solo, por valores que rondam os cinco mil euros por habitação. “Já houve também alguns moradores que venderam as habitações, por valores na ordem dos quarenta mil euros, e no acto da escritura a câmara foi chamada para formalizar a venda do solo. Nunca colocámos obstáculos, mas com a compra do solo vai ser mais fácil vender, se quiserem”, disse.
Luís Silva adiantou que o executivo decidiu por unanimidade dar esta margem de mais seis meses aos moradores, para formalizarem a compra dos terrenos a 18 euros/m2, para não apanhar as pessoas de surpresa com o aumento proposto pelos serviços. “Depois deste prazo os preços vão ser revistos de acordo com as regras de mercado, sendo esta uma boa oportunidade para os moradores comprarem a propriedade do solo e tornarem-se proprietários plenos das habitações a preço reduzido”, concluiu.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...