uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Câmara do Cartaxo substitui iluminação pública por tecnologia LED

Edição de 27.06.2018 | Política

A Câmara do Cartaxo adjudicou a primeira fase do projecto de iluminação pública que vai permitir melhorar a qualidade da iluminação do espaço público e reduzir a factura mensal com este tipo de iluminação. O presidente do município, Pedro Magalhães Ribeiro (PS), explicou em sessão camarária que o contrato, já em execução, foi adjudicado por ajuste directo à empresa Canas – Engenharia e Construção, Lda, no âmbito do acordo quadro da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIMLT).
“Somos o primeiro município da CIMLT a iniciar a substituição da iluminação pública ao abrigo do concurso público desenvolvido pela CIMLT. Os nossos serviços, em especial da Divisão de Ambiente, Obras e Equipamentos Municipais tem feito um esforço na identificação dos pontos de iluminação e na contratação necessária, para que os trabalhos se iniciassem o quanto antes”, sublinhou.
O autarca considera necessário melhorar a qualidade da iluminação do espaço público, assim como garantir a redução da despesa pública e ganhos ambientais, que, afirma, está identificada há algum tempo como essencial. “Este é um investimento que consideramos estrutural e de interesse público”, disse.
Pedro Ribeiro explicou que a primeira fase de implementação deste projecto vai incidir nas freguesias de Valada e a União de Freguesias do Cartaxo e Vale da Pinta, e que corresponde a um investimento de 163.303 euros. As 675 luminárias incluídas nesta fase fazem parte do objectivo mais alargado de substituir 3.468 luminárias, que representam cerca de metade do número total de pontos de iluminação pública do concelho.
A Câmara do Cartaxo candidatou a totalidade do projecto a fundos comunitários do Portugal 2020, esperando conseguir para as 3.468 luminárias, que representam um investimento superior a 700 mil euros, 95 por cento (%) de comparticipação.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...