uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Vila Franca de Xira volta a afirmar tradições e identidade no Colete Encarnado
Homenagem ao campino e desfile de amazonas e cavaleiros pelas ruas da cidade são o ponto alto da festa

Vila Franca de Xira volta a afirmar tradições e identidade no Colete Encarnado

Esperas de toiros, concertos, noite da sardinha assada e tertúlias prometem muita animação

Edição de 05.07.2018 | Especial Colete Encarnado

De 6 a 8 de Julho a cidade de Vila Franca de Xira volta a vestir o traje de gala para receber visitantes de todo o país naquela que é a sua principal festa do ano, o Colete Encarnado. Jorge Palma, Capitão Fausto e Cuca Roseta serão algumas das estrelas do palco.
A festa do Colete Encarnado em Vila Franca de Xira sai para as ruas nos dias 6, 7 e 8 de Julho, afirmando-se como um convite à amizade, alegria, convívio e hospitalidade das gentes ribatejanas. É uma festa, segundo o presidente do município, Alberto Mesquita (PS), que afirma “as tradições e a identidade” de uma terra e das suas gentes.
Além das esperas e corridas de toiros, fado, folclore e noite da sardinha assada, o programa inclui também vários concertos de peso: Jorge Palma e Carolina Deslandes dia 6, às 22h30 e 00h45, respectivamente, Capitão Fausto (dia 7 às 23h00) e Cuca Roseta, a fechar, dia 8 às 22h00.
“Este ano introduzimos alterações na programação para ir de encontro às questões que nos foram sendo colocadas por quem vive a festa. Estamos preparados para ter novamente um Colete Encarnado com a dignidade e qualidade para receber milhares de visitantes. É uma festa que celebra a amizade, a multiculturalidade e, acima de tudo, a liberdade. É um momento de encontro e fraternidade”, explica Alberto Mesquita.
O programa arranca dia 5 de Julho, quinta-feira, com o tradicional jantar das tertúlias na praça Palha Blanco. Sexta-feira, pelas 11h00, arranca animação itinerante pelas ruas e às 18h00 acontece a primeira largada de toiros pelas ruas da cidade. Pelas 20h30 haverá a missa rociera na igreja matriz seguida de fado por fadistas de Vila Franca de Xira junto à igreja. Além do palco da avenida Pedro Victor, que receberá depois dos concertos principais o DJ Luís Pinheiro às 02h30, o Largo da Misericórdia terá a actuação, a partir das 22h30, da Bandinha da Moca, Cavalinho Rá-pá-pum e XiraBrass. O palco Mártir Santo acolherá um espectáculo dos Carapaus, Azeite & Alho.
O palco do Adro recebe este ano o Coro Rociero de Fuente de Santos, pelas 22h30 e, pelas 24h00, El Amir – Flamenco Sextet.

Sábado é o ponto alto
O dia seguinte, sábado, será o mais “concorrido” da festa, começando logo com uma feira de velharias no jardim municipal, concentração de campinos na Avenida Pedro Victor e, pelas 10h30, corridas de campinos no largo 5 de Outubro, juntamente com concerto pela banda do Ateneu. Está marcado um encierro para jovens às 12h30 no largo 5 de Outubro. O ponto alto da festa será a homenagem ao campino, às 16h00, na praça do município, seguido de desfile pela cidade. A espera de toiros acontece pelas 18h30. A noite da sardinha assada – distribuição gratuita de sardinhas, pão e vinho nos postos públicos da cidade, situados na rua 1º de Dezembro e nas tertúlias abertas ao público – acontece pelas 22h30. A praça de toiros acolhe a garraiada da sardinha assada pelas 02h00 e às 03h30 distribui-se caldo verde na rua 1º de Dezembro. Destaque para a maratona de folclore no palco do jardim municipal, a partir das 18h00.
O último dia da festa, domingo, arranca pelas 10h30 com uma espera de toiros seguida de largada, flamenco no palco sevilhanas.com a partir das 16h30, ranchos folclóricos no palco do jardim municipal a partir das 15h30 e, a fechar, fogo de artifício no Tejo a partir das 24h00.

O melhor transporte é o comboio
Devido à realização das obras na Auto-Estrada do Norte (A1) o presidente do município, Alberto Mesquita, admite que o melhor meio de transporte para visitar Vila Franca de Xira no fim-de-semana do Colete Encarnado será de comboio. “Discordamos da forma como as obras estão a ser feitas e queremos ver-nos livres delas o mais depressa possível. Vamos tentar estimular as pessoas para virem de comboio, é mais prático, rápido e confortável. Quem vier pela A1 vai sofrer esses constrangimentos de trânsito e por isso vamos tentar sensibilizar a Brisa [responsável da obra] para ter outra atenção nesse fim-de-semana”, explica. Apesar da recomendação, quem optar pelo automóvel terá também vários parques para poder estacionar espalhados pela cidade.

Vila Franca de Xira volta a afirmar tradições e identidade no Colete Encarnado

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido

    Destaques