uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Bombeiros de Constância suspendem contrato com CHMT para transporte de doentes
Centro diz que os cuidados aos utentes não estão em causa

Bombeiros de Constância suspendem contrato com CHMT para transporte de doentes

Centro Hospitalar do Médio Tejo passou a gerir a central de despacho de ambulâncias. Em causa estão divergências quanto ao pagamento. Corporação diz que há facturas retidas desde o Verão do ano passado e ameaça recorrer ao tribunal.

Edição de 05.07.2018 | Sociedade

Os Bombeiros Voluntários de Constância suspenderam o contrato com o Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) para transporte de doentes na área do Médio Tejo devido a alegados pagamentos em atraso que a unidade hospitalar desmente. A associação humanitária informou mesmo outras corporações de bombeiros de que vai intentar um processo judicial contra o CHMT “para pagamento de todas as facturas retidas indevidamente, cujo valor ascende a 200 mil euros”.
Contactado por O MIRANTE, o CHMT garante que “tem pago todos os meses, desde o inicio do contrato, à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Constância a prestação do serviço efectuado”. E revela que “à data de 20 de Junho, o prazo de pagamento era inferior a 60 dias”, acrescentando que “nos últimos 12 meses foram pagos cerca de 1 milhão e 300 mil euros” aos Bombeiros de Constância por esse serviço.
O desentendimento entre as duas partes deve-se, segundo apurámos, a leituras divergentes sobre os valores a pagar pelo CHMT aos transportadores pelos serviços prestados. Adelino Gomes, comandante dos Bombeiros de Constância, diz a O MIRANTE que o CHMT tentou alterar unilateralmente o contrato para pagar menos.

Atrasos nos transportes não são de agora
O Centro Hospitalar do Médio Tejo tem desde Junho de 2016 um contrato de prestação de serviços de transporte com os Bombeiros de Constância, ao abrigo de um concurso público. Contrato que terminava no final deste ano. Com a suspensão desse contrato unilateralmente pela associação humanitária, no dia 20 de Junho, o CHMT assumiu directamente a gestão da central de despacho de ambulâncias para transporte de doentes para consultas, exames ou fisioterapia.
“Em termos operacionais o CHMT tem contado com a prestação de diversas entidades com capacidade de transporte de doentes, garantindo por essa via o normal funcionamento deste centro hospitalar”, informa. O serviço passou a ser assegurado por diversas corporações de bombeiros e outras entidades, como a Cruz Vermelha ou empresas privadas.
O MIRANTE sabe que há registo de alguns problemas no transporte de doentes, explicados pelo CHMT da seguinte forma: “O elevadíssimo número de transportes necessários ao funcionamento diário do CHMT pode implicar pontualmente atrasos nalguns transportes, mas não ficando nunca a prestação dos cuidados posta em causa nem a segurança dos doentes. Atrasos que há muito se vinham a verificar, procurando os competentes serviços do CHMT ultrapassar essas situações. Actualmente e estando a central de despacho a ser assegurada pelo CHMT não foi reportada qualquer degradação do serviço prestado de transporte de doentes”.

Uma relação atribulada

A relação entre os Bombeiros de Constância e o CHMT tem sido marcada por alguma conflitualidade. Em Abril último, o comandante afirmou que a corporação estava com dívidas a fornecedores e com viaturas paradas por falta de dinheiro para combustível, tendo reclamado uma dívida de 700 mil euros ao CHMT, que agrega as unidades hospitalares de Abrantes, Tomar e Torres Novas. O serviço foi retomado depois de terem reunido com a administração do Centro Hospitalar, que transferiu uma verba de 108 mil euros para os Bombeiros de Constância.

Frota de 20 ambulâncias em Constância não está parada

Os Bombeiros Voluntários de Constância têm uma frota de vinte ambulâncias e cerca de 40 homens associados ao transporte de doentes. Adelino Gomes diz que a suspensão do contrato com o CHMT não teve grandes implicações no dia a dia da corporação. “A frota não ficou parada e também continuamos a trabalhar para o CHMT, desde que tenhamos equipas disponíveis”, diz o comandante, referindo que a associação presta serviços nessa área a diversas outras entidades.

Bombeiros de Constância suspendem contrato com CHMT para transporte de doentes

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido

    Destaques