uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Extensão de Saúde de Valada reabre sexta-feira após críticas do município

Câmara do Cartaxo concluiu obras nesse equipamento já há algumas semanas mas o Ministério da Saúde ainda não o reactivou, alegadamente devido a problemas nas comunicações.

Edição de 05.07.2018 | Sociedade

A Extensão de Saúde de Valada, no concelho do Cartaxo, vai reabrir na sexta-feira, 6 de Julho, segundo informou esta segunda-feira o presidente do município, Pedro Magalhães Ribeiro (PS), que na semana passada tinha insistido na “necessidade de reabrir esta valência de saúde, o quanto antes”.
“O investimento superior a 36 mil euros que a câmara municipal fez naquele equipamento, vai agora ser posto ao serviço das pessoas, quer dos utentes, quer dos profissionais de saúde que ali vão exercer funções”, disse o autarca que dias antes havia exigido a “reabertura imediata” desse serviço junto do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) da Lezíria do Tejo.
O presidente da Câmara do Cartaxo recordou nesse comunicado que a autarquia concluiu as obras de requalificação da Extensão de Saúde de Valada no dia 4 de Abril, o que o levou a criticar o facto de essa unidade ainda não ter sido reactivada. Uma posição que contou com o apoio da Junta de Freguesia de Valada.
Na sequência desse comunicado,
O MIRANTE questionou o ACES Lezíria que revelou que “as obras realizadas na Extensão de Saúde de Valada ficaram concluídas no passado mês de Maio”. A mesma entidade explicou que “no decorrer das obras, foi acidentalmente desligado o cabo que possibilitava as comunicações de voz e dados, essencial para o funcionamento da unidade de saúde”.
O ACES Lezíria disse ainda que apesar das várias insistências apenas na quinta-feira, 28 de Junho, os técnicos da operadora de comunicações NOS se deslocaram ao local para proceder à reparação” - curiosamente, no dia seguinte à data em que a Câmara do Cartaxo emitiu o comunicado a exigir medidas.
O autarca sublinha que o município assumiu pagar uma obra que era da competência direta do Ministério da Saúde e que era reivindicada há muitos anos, acrescentando que manter a aquela extensão de saúde encerrada “acarreta graves prejuízos à população da freguesia de Valada e afecta gravemente o seu direito fundamental de acesso a serviços de saúde”.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido

    Destaques