uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Munícipio de Vila Franca de Xira distribui quatro milhões pelas freguesias
Alberto Mesquita selou acordo que demorou a fechar-se com as juntas. À esquerda, Carlos Gonçalves, da União de Alverca e Sobralinho

Munícipio de Vila Franca de Xira distribui quatro milhões pelas freguesias

Transferência de competências foi formalizada, após algumas semanas de negociações, mas algumas juntas gostavam de receber mais dinheiro.

Edição de 12.07.2018 | Sociedade

A Câmara Municipal de Vila Franca de Xira e as seis juntas de freguesia do concelho assinaram no dia 2 de Julho os acordos de execução e contratos interadministrativos que entram este mês em vigor.
“As negociações com as juntas de freguesia levaram aos entendimentos que se encontram vertidos nos acordos de execução e contratos interadministrativos. Asseguramos que às competências delegadas para as juntas correspondem os recursos financeiros necessários à sua execução”, referiu o presidente do município, Alberto Mesquita (PS).
A verba a transferir é de 3 milhões e 940 mil euros, valor a que se somam outros 100 mil euros a distribuir entre todas as juntas, para aquisição de equipamentos e a garantia do apoio municipal, a 50 por cento, de viaturas de transporte escolar que as juntas precisem de comprar. Relativamente às competências, as juntas de freguesia deixam de intervir nas podas e no abate de árvores e recebem uma nova responsabilidade, a de recolher os monos que se acumulam nas ilhas ecológicas.
Para o novo ciclo, Alberto Mesquita acredita que “estão criadas boas condições para que quer a câmara quer as juntas desenvolvam as suas competências com elevados padrões de qualidade”, sublinhando que o diálogo estará sempre em aberto de modo a ir “ao encontro das necessidades da população”.
Luís Almeida (CDU), presidente da Junta de Castanheira do Ribatejo e Cachoeiras disse a O MIRANTE que as juntas de freguesia conseguiram “fazer valer as suas exigências” e que a maior vantagem do novo contrato é o facto de o mesmo poder vir a ser alterado nos anos seguintes, caso se verifique essa necessidade. Quanto à quantia acordada, o presidente de junta diz “quem dá acha sempre que é muito e quem recebe acha sempre que é pouco”.
Também para Carlos Manuel Gonçalves (CDU), presidente de Junta de Alverca e Sobralinho, “o dinheiro fica aquém daquilo que são as necessidades das freguesias”. Entende que a “readaptação de algumas competências foi necessária, para que se cumpram” e agora “compete às freguesias reorganizarem-se e conseguirem fazer o melhor serviço possível, com menos competências e mais disponibilidade para fazer um melhor trabalho”, conclui.

Munícipio de Vila Franca de Xira distribui quatro milhões pelas freguesias

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido