uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Autarca de Alpiarça exorta produtores de melão a unirem-se contra a grande distribuição
Mário Pereira diz que é preciso combater a ditadura de preços dos hipermercados

Autarca de Alpiarça exorta produtores de melão a unirem-se contra a grande distribuição

Hipermercados esmagam preços e agricultores têm dificuldades em subsistir com essa realidade.

Edição de 26.07.2018 | Economia

A necessidade da criação de uma associação de produtores de melão e melancia forte que consiga intervir no ‘jogo dos preços’, actualmente virado para os interesses da grande distribuição, e a continuação da afirmação da marca do melão e da melancia de Alpiarça foram os apelos deixados pelo presidente da Câmara de Alpiarça, Mário Pereira (CDU), na inauguração de mais uma edição do Festival do Melão.
“Há dificuldades que os produtores de melão e melancia alpiarcenses sentem e a que a autarquia não consegue dar uma solução, como as condições climatéricas ou os custos de produção que têm vindo a subir sistematicamente”, afirmou Mário Pereira na tarde de sexta-feira, 20 de Julho, no Parque do Carril, em Alpiarça. Por isso, defende o autarca, é necessário que os produtores se unam, pois só assim, “com a força do conjunto, da capacidade de reivindicar e de impor condições”, é possível combater a ditadura da grande distribuição que esmaga os preços com fruta espanhola e dificulta o escoamento do melão e melancia nacionais.
Uma opinião partilhada por Rita Adriano e António Petinga. A venderem melão e melancia, ambos confessam que esse é um dos grandes males que actualmente se esbarram. “As grandes superfícies compram e vendem estes produtos a preços baixos e não conseguimos competir”, adianta António Petinga.
O produtor de 78 anos, que está no festival desde a primeira edição, admite que as grandes superfícies chegam a comprar a melancia entre 10 e 15 cêntimos o quilo e o melão, se for preciso, a 15 cêntimos/quilo. O que para António Petinga é “injusto”, pois tem de se pagar o combustível, o terreno, os impostos, o pessoal e “acaba por não dar para tudo”.
Preços baixos que Rita Adriano também lamenta, mas “temos de continuar a lutar para escoar os nossos produtos, senão é incomportável”. A verdade é que muito do melão e melancia encontrados nas grandes superfícies tem origem espanhola e, por isso, não tem a mesma qualidade dos produzidos em Alpiarça, diz.

“Os melões estão pequenos mas mais doces”
Este ano, com as temperaturas relativamente baixas para a época que se têm feito sentir nos últimos meses, a produção de melão e melancia em Alpiarça ficou prejudicada e atrasou-se um mês. Ainda assim, o produtor António Petinga acredita que este ano “os melões estão pequenos mas mais doces”. E o mesmo acontece com a melancia. “Este ano tanto o melão como a melancia não cresceram tanto e não se produziu tanto mas têm melhor qualidade”, afirma a produtora Rita Adriano.

Autarca de Alpiarça exorta produtores de melão a unirem-se contra a grande distribuição

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...