uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Santarém dá mais um passo para ter um crematório
Câmara de Santarém acredita que o crematório permite prolongar a utilização do cemitério da cidade

Santarém dá mais um passo para ter um crematório

Concurso público internacional já foi publicado em Diário da República. Prazo para entrega de propostas para concepção, construção e concessão do equipamento decorre até 8 de Outubro. Distrito não tem crematórios mas pode vir a ter três nos próximos anos.

Edição de 03.08.2018 | Sociedade

O concurso público internacional para a concepção, construção e concessão da exploração de um crematório no Cemitério dos Capuchos, em Santarém, foi publicado no dia 23 de Julho em Diário da República e no Jornal Oficial da União Europeia. O prazo para entrega de propostas decorre até 8 de Outubro.
“O Município de Santarém pretende, desta forma, dar resposta a uma necessidade antiga, do concelho, para fazer face à sobrelotação do Cemitério dos Capuchos, que em poucos anos atingiria o seu limite”, lê-se na página da Câmara de Santarém na rede social Facebook, onde foi anunciada a novidade.
Santarém é um dos três municípios da região com procedimentos em curso com vista à construção de crematórios num distrito que não tem nenhum equipamento desse género. O mais próximo situa-se na Póvoa de Santa Iria (concelho de Vila Franca de Xira) ou em Coimbra. No Entroncamento o processo está mais adiantado, tendo o município adjudicado no dia 16 de Julho a concepção, construção e exploração do crematório na cidade, passando a liderar a corrida que se instalou na criação destes equipamentos. A adjudicação foi feita à empresa Pleasantdedication, do concelho de Torres Novas, que vai ter a concessão por 30 anos.
Almeirim, que já tem projecto feito, aprovou no dia 17 de Julho o concurso para a construção do crematório da cidade, prevendo que as obras possam começar no final do ano. O Entroncamento espera ter o crematório a funcionar no segundo trimestre do próximo ano, podendo ser a primeira cidade do distrito com essa funcionalidade.

Não há fome que não dê em fartura
Santarém, que tinha visto no mandato anterior a oposição, então com maioria na câmara, chumbar o concurso para construção do crematório, conseguiu em Junho que fosse aprovado o concurso pela câmara e assembleia municipal, perante as críticas da oposição que defendem a construção de um cemitério novo e com crematório incorporado. Segundo a proposta, a câmara só tem de ceder por 30 anos uma parcela de terreno com 380 metros quadrados junto ao cemitério para ser construído o equipamento, caso haja empresas interessadas em construir e explorar o crematório.
Recorde-se que dos três crematórios, o de Almeirim é o único totalmente público, sendo um investimento próprio da câmara que cede a exploração à junta de freguesia. No Entroncamento e Santarém o processo passa pela concessão, em que a empresa seleccionada para explorar o equipamento fica responsável pela elaboração do projecto e construção.
O crematório do Entroncamento, que representa um investimento de 700 mil euros e a criação de cinco empregos, vai ocupar uma área de 1.132 metros quadrados, dos quais trezentos são de área construída.

Santarém dá mais um passo para ter um crematório

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...