uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Adeptos do Alverca e de Mação querem raça e atitude agora que estão no Nacional

Um regresso e uma estreia marcam equipas da região que se defrontaram logo na primeira jornada. O Futebol Clube de Alverca, que regressou aos nacionais, recebeu a Associação Desportiva de Mação, que está pela primeira vez neste escalão, no jogo inaugural do Campeonato de Portugal. Ambos subiram de divisão e os adeptos estão confiantes de que poderão obter bons resultados. Pela cabeça de todos não passa é voltar a descer de divisão. Mação saiu vencedor da partida.

Edição de 17.08.2018 | Desporto

Nem que seja preciso comer relva e destruir as biqueiras das chuteiras: os adeptos do Futebol Clube de Alverca (FCA) e da Associação Desportiva de Mação (ADM) não querem que os seus clubes voltem a descer de divisão e até acreditam que este ano podem surpreender os adversários. Raça, atitude, determinação e amor à camisola são factores que os adeptos de ambas as equipas dizem que vai ser fundamental para que, daqui a 34 jornadas, se possa fazer a festa da manutenção. Ou, quem sabe, da subida de divisão.
No domingo, 12 de Agosto, realizou-se no estádio de Alverca o jogo inaugural do Campeonato de Portugal, série C, o segundo escalão do futebol nacional, com o Alverca a regressar aos nacionais após uma longa hibernação que o levou da primeira liga de futebol profissional aos distritais. Já o Mação estreou-se em provas nacionais às portas de Lisboa depois de ter vencido pela primeira vez a distrital de Santarém. Em Alverca venceu a partida por 2-1 (ver caixa).
José Godinho, José Ferreira e João Marques são três dos quase 20 adeptos do Mação que foram a Alverca apoiar a equipa. No fim fizeram a festa mas confessam que a caminhada vai ser difícil. “Espero que o Mação faça uma boa época, mas sabemos que vai ser difícil. Subimos agora de divisão e vamos ver como a equipa se aguenta, acredito que vamos longe este ano”, refere João a O MIRANTE. Para José Ferreira, “a experiência de estar nesta nova divisão é importante para a equipa” e começar a ganhar “dá um alento maior”. José Godinho diz que sempre que podem “apoiam a equipa” do Mação para todo o lado.

Quando o resultado é mau a imperial é que paga
Ao intervalo já o Mação vencia o Alverca por uma bola a zero. Corrida ao bar do estádio para molhar as gargantas, esquecer uma primeira parte pouco conseguida do clube da casa e ganhar alento para a segunda parte. “O melhor que podia acontecer seria conseguirmos a manutenção nesta divisão, acredito que os jogadores vão lutar sempre pela subida, esse é o objectivo, mas a manutenção também será um bom resultado. Todos nós, alverquenses, temos a ambição de ver a nossa equipa novamente no topo. Com a força, alegria e motivação de toda a claque e adeptos acredito que vão fazer um bom campeonato”, conta Mário Rui Dias, 42 anos, adepto e morador em Alverca. É um dos membros da claque Ultras 2615, cujo nome deriva do código postal da cidade.
“Parece-me que a equipa do Alverca ainda tem de se organizar melhor em campo, vai ser muito difícil, acredito que é possível mas sem raça e atitude não vai dar, estamos a lutar com jogadores de outra classe e só conseguiremos vencer e sair por cima se nos empenharmos”, defende Costa Monteiro, outro adepto do Alverca.

Mação entra a vencer e Vilafranquense goleia

Na primeira jornada o encontro ribatejano ficou marcado pela vitória do Mação por 2-1 frente ao Alverca, num jogo muito disputado onde o Mação marcou primeiro, antes do intervalo. O Alverca regressou melhor do balneário e reduziu a desvantagem na segunda parte. O Mação ameaçou de seguida com uma bola ao poste e confirmou a vitória minutos antes dos 90, com o 2-1 final. Na primeira jornada o Vilafranquense goleou por 7 bolas a zero o Oleiros e o Sertanense também venceu por 1-0 o Alcains.

Natural de Mação a viver em Alverca de coração dividido

João Inácio, 70 anos, vive em Alverca mas nasceu em Eiras, freguesia de Amêndoa, concelho de Mação. É sócio do FC Alverca há mais de três décadas, mas confessa a O MIRANTE que “há mais de 20 anos” que não assistia a um jogo dos seniores do futebol. Fê-lo no último fim-de-semana, de coração dividido. “Nos últimos anos tenho acompanhado mais o hóquei em patins, porque o meu neto é jogador de hóquei na equipa do Alverca. “No futebol fico satisfeito quer ganhe um ou outro clube, espero que seja aquele que melhor fizer pela vitória”, conta. João Inácio acredita que o Mação terá mais dificuldades este ano em formar uma equipa vencedora por ter de apostar em jogadores da prata da casa. Já para o Alverca confessa que será uma equipa “com mais facilidade” em conseguir a manutenção nesta divisão, pela experiência acumulada. “Mas no fundo o que espero é que fiquem os dois, são ambos importantes para mim”, conta.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...