uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Valada integra projecto para criação de estação de serviço de autocaravanas

Câmara do Cartaxo articula estratégia com a Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo

Edição de 17.08.2018 | Sociedade

A Câmara do Cartaxo pretende apresentar uma candidatura para a freguesia de Valada integrar o projecto de criação de Rede de Estações de Serviço para Autocaravanas. A candidatura está integrada no projecto que a Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo (ERTAR) se encontra a preparar para apresentar à Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior.
O presidente da Câmara do Cartaxo, Pedro Magalhães Ribeiro (PS), considera que a zona ribeirinha do concelho do Cartaxo é da maior importância para a “coerência e sustentabilidade do projecto” da ERTAR, com Valada a “assumir um posicionamento estratégico quer pelo seu potencial na promoção do turismo náutico, quer pela posição que já assume nas rotas do Caminhos de Fátima e Caminhos de Santiago”, disse.
O presidente da Câmara do Cartaxo e a presidente da Junta de Freguesia de Valada, Margarida Abade, defendem que o forte crescimento do autocaravanismo, quer no que respeita ao turismo nacional, quer internacional, é uma das razões que levam os dois autarcas a considerar que “esta é uma oportunidade única para promover o investimento na freguesia de Valada e para criar uma infraestrutura capaz de promover todo o potencial turístico da zona ribeirinha do concelho. “Estudos do sector mostram que a faixa etária dos utilizadores tem vindo a baixar, é cada vez mais jovem, com maior poder aquisitivo e que contribui directamente para as economias regional e local”, refere Pedro Ribeiro.
O autarca considera que o turismo náutico, a presença de pessoas e de empresas empenhadas na preservação do ecossistema do rio Tejo, enquanto recurso natural, mas também económico e de criação de emprego, serão essenciais na defesa ambiental do Tejo. Prevendo um financiamento de 70 por cento a fundo perdido para um investimento total até 300 mil euros, a Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior visa apoiar o investimento em projectos e iniciativas que, por meio de actividades com relevância ou interesse para o turismo, contribuam para o desenvolvimento do interior e para a coesão económica e social do território.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...