uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Câmara de Santarém vai descer impostos municipais em 2019

Presidente diz que entre 2015 e 2017 foram criados no concelho 730 postos de trabalho por ano

Edição de 07.09.2018 | Economia

A Câmara de Santarém vai aprovar neste mês de Setembro uma descida dos impostos municipais no próximo ano, nomeadamente o IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) e a Derrama. A garantia foi dada pelo presidente do município, Ricardo Gonçalves (PSD), em sessão camarária, embora não tenha especificado em quanto vai ficar essa redução. Actualmente, o município de Santarém aplica a taxa máxima de 0,45 por cento (%) de IMI. A Derrama mantém-se em 1,5% sobre o lucro tributável e não isento de IRC.
Ricardo Gonçalves afirma que não são mais ambiciosos na descida dos impostos porque ainda não sabem o que vai resultar da delegação de competências do Governo para as autarquias. “Se a delegação de competências correr bem, no próximo ano desceremos ainda mais os impostos”, garantiu. O autarca considera que esta redução no valor dos impostos municipais é fundamental para aumentar a competitividade do concelho.
Nesse sentido, o presidente explicou que o executivo municipal está a estudar, em conjunto com os empresários instalados na zona industrial da cidade, a expansão dessa área, com o objectivo de captar mais empresas que ali se queiram instalar. Ricardo Gonçalves respondeu, desta forma, às críticas dos vereadores socialistas que acusaram a maioria PSD que gere a câmara municipal de não ter estratégia para atrair investimento para o concelho de Santarém.
“Actualmente, todos os indicadores económicos atiram Santarém para a cauda da competitividade regional”, criticou o vereador André Lopes (PS), considerando fundamental que o município vá bater à porta das empresas e que faça um plano de desenvolvimento e apoio empresarial”, disse.
Ricardo Gonçalves discordou das críticas dos vereadores da oposição e considera que o mais importante é apoiar as empresas sediadas no concelho. “Em relação à atractividade de Santarém para o desenvolvimento de negócios, estamos a trabalhar e dentro de muito pouco tempo vamos ter resultados”, afirmou o autarca, acrescentando que, entre 2015 e 2017, foram criados 730 postos de trabalho por ano. “O concelho de Santarém exporta 2,4%, bem acima da média nacional, que é 1,5%, e, só em 2017, foram criadas 167 novas empresas. Estes números demonstram a vitalidade económica do concelho”, concluiu.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...