uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Mais espaço e debates sobre os frutos secos

Mais espaço e debates sobre os frutos secos

Edição de 03.10.2018 | Especial Feira dos Frutos Secos


O director de produção da empresa Ti António considera que a Feira dos Frutos Secos em Torres Novas devia ter mais espaço para permitir a visita de mais pessoas. Além disso Hugo Gameiro gostaria de ver no certame conferências e debates sobre os frutos secos e sobretudo sobre os figos, cultura característica da zona. Esta seria uma forma de promover mais a feira que, realça, poderei contribuir ainda mais para a economia do concelho e cativando mais pessoas de várias regiões do país para adquirirem os produtos de Torres Novas.
Hugo Gameiro, 39 anos, concorda que a iniciativa decorra no coração da cidade, inserido com o comércio local, realçando que a feira “tem interesse para a divulgação dos produtos existentes no concelho de Torres Novas”. Além de, sublinha, permitir que as pessoas “possam ter maior conhecimento das actividades económicas de Torres Novas”. O director da empresa situada em Carreiro D’Areia, não tem também dúvidas que a Feira dos Frutos Secos também contribui para o aumento do consumo dos produtos da região.
Para o director de produção da empresa pecuária do concelho de Torres Novas, a economia da zona deveria ter em conta a “sustentabilidade das pequenas e médias empresas”, sugerindo um maior desenvolvimento da área turística. Hugo Gameiro diz que “com estratégias adequadas e algum dinamismo as potencialidades da região podem dar ‘bons frutos’, aproveitando a localização central no país e os bons acessos rodoviários.
A feira é um bom incentivo ao consumo dos produtos locais e regionais, o que apraz Hugo Gameiro, um defensor dos produtos portugueses. Nesse sentido, gostava de ver os portugueses a terem uma cultura de defesa do que é nacional, como forma sobretudo de maximizar a economia interna. “O que verifico é que as pessoas têm tendência a valorizar mais o que é de fora, quando em meu entender devia ser o contrário”, realça o director que tem o sonho de visitar os países do norte da Europa.
A empresa Ti António tem vindo a apostar na constante actualização e modernização. “Todos os dias há empenho e esforço da equipa de trabalho, forte e coesa, para termos um produto único, de alta qualidade e saudável. Temos capacidade para continuar a crescer em termos de qualidade e quantidade”, garante o director de produção, que diz que o lema da empresa é “preservar os clientes mantendo a qualidade a que estão habituados”.

Mais espaço e debates sobre os frutos secos

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido